sexta-feira, 4 de abril de 2008


A origem etimológica da palavra filantropia significa “amizade pela humanidade”. Essa qualidade humana é valorizada em praticamente todas as religiões e culturas. Assim, a solidariedade deve ser entendida como o reconhecimento e uso por parte do doador de que ele é possuidor de diversos dons, talentos, capacidades e bens, que devem ser colocados, gratuitamente, à disposição das necessidades de outras pessoas.

As Testemunhas de Jeová reconhecem isso e em sua revista “A Sentinela” 15/06/2002 p.3 citam:


"Organizações de ajuda humanitária, grandes e pequenas, certamente fazem muita diferença na vida das inúmeras vítimas de guerra e de catástrofes."

Também afirmam que a filantropia era uma marca identificadora dos primeiros cristãos no seu livro “Raciocínios a base das escrituras” p.263:


"e cultivamos a piedade, a justiça, a filantropia, a fé e a esperança, que recebemos do próprio Pai por intermédio Daquele que foi crucificado.” — Justino, o Mártir, em “Diálogo com o Judeu Trífon”, (2.° século EC)

E até citam de forma contundente o dever de um cristão na revista “A Sentinela” 01/10/1975 versão encadernada p.580-81:


"Nós, individualmente, não podemos mudar as condições atuais. Mas isto não desculpa qualquer indiferença da nossa parte para com o sofrimento dos outros. Fazemos uso das oportunidades que temos para prestar ajuda aos outros? Provérbios 22:9 nos assegura: “O homem generoso será abençoado, porque repartiu o seu pão com o pobre.” — Pontifício Instituto Bíblico.

Porém, o discurso muda radicalmente quando pergunta-se qual é a forma correta e prática de amar ao próximo. As Testemunhas de Jeová afirmam categoricamente no seu livro “Anuário de 2004” p.4:


"Precisamos, porém, lembrar que nossa principal responsabilidade é participar zelosamente na obra de pregação e de ensino, que salva vidas, obra esta que é mais importante do que qualquer atividade humanitária."


As Testemunhas de Jeová ainda vão mais longe no seu raciocínio na tentativa de desmerecer a filantropia citando em sua revista “A Sentinela” 01/10/1986 p.22,23:

"Muitas pessoas sinceras acham que a maneira mais prática de mostrar seu amor ao próximo é por construírem e manterem hospitais e escolas, por contribuírem a boas causas e por participarem em várias formas de obras sociais. ‘É isto o que o cristianismo significa’, talvez digam, possivelmente acrescentando, se estiverem falando a Testemunhas de Jeová: ‘Certamente mais prático do que gastar tempo e energias pregando religião de casa em casa, como vocês fazem.’ Mas, será mesmo? Exatamente como podemos amar o nosso próximo da maneira mais prática e para seu maior benefício a longo prazo?"

Aí citam de forma pejorativa que muitas instituições desviam o dinheiro das pessoas:
Os prospectivos doadores em favor de causas dignas têm razão para perguntar:

"Exatamente quanto de minha contribuição beneficiará diretamente as pessoas que se visa ajudar?’ Uma investigação feita em 1978 nas 15 principais organizações de caridade na República Federal da Alemanha, por exemplo, revelou que naquela ocasião os custos administrativos e operacionais consumiam 42 por cento da arrecadação total das organizações."

Podemos perceber as entrelinhas da Torre de Vigia prejulgando e colocando dúvidas sobre o ato de doar algo para uma instituição. O relato poderia até ser sincero, pois realmente existem tais situações (a pessoa deve sempre certificar-se da procedência de tais instituições), mas a real finalidade é apenas fazer com que o leitor se enquadre na sua forma de pensar e que fuja da condenação pública de seu (Torre de Vigia) descaso para com a sociedade e no seu próximo parágrafo vai complementar essa idéia colocando um falso juízo da própria pessoa de Jesus Cristo:

"Visto que a alta prioridade de sua vida fora dada a esta atividade de pregação — e não a obras sociais, à construção de hospitais ou a dirigir entidades assistenciais — Jesus pôde mais tarde dizer a Pilatos: “Para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade.”


Como sabemos Jesus veio como um sacrifício e tinha pouco tempo de vida, assim fez várias coisas como modelo futuro para seus discípulos, entre essas estava a divulgação de suas mensagens, ajuda aos necessitados, amor ao próximo. Então, não existe uma prioridade específica e sim uma prioridade de atestar seus exemplos como vindos de Deus.

Alguns textos bíblicos que calam fundo nas Testemunhas de Jeová:

(Tiago 1:22) "Entretanto, tornai-vos cumpridores da palavra e não apenas ouvintes, enganando-vos com falsos raciocínios."

(Gálatas 2:10) "Apenas devíamos lembrar-nos dos pobres. Esta mesma coisa diligenciei também fazer."

(Salmos 41:1) "Feliz aquele que tiver consideração para com o de condição humilde; No dia da calamidade Jeová o porá a salvo."

(Tiago 2:17) "Assim também a fé, se não tiver obras, está morta em si mesma."

Interessante que na própria publicação da Torre de Vigia é mostrado que devemos ter amor ao próximo. Na revista “Despertai” 22/01/1986 é feito a pergunta “Quem é meu próximo?”:

"O mesmo deve acontecer com o amor dos verdadeiros cristãos da atualidade. Para serem cristãos mais do que simplesmente de nome, eles precisam fazer-se de próximos para todos os homens, e mostrar amor prestativo para com todos."


Infelizmente esse tipo de preocupação por parte das Testemunhas de Jeová se resume não a pregação da mensagens de Jesus, mas a seu proselitismo religioso que incentivam uma pseudo-neutralidade do mundo que consiste na realidade em uma alienação social, o famoso analfabeto político de seus deveres!


10 comentários:

  1. Parabens pelo excelente texto, ele retrata a verdade, durante os 37 anos em que fui Testemunha de Jeová, sempre fomos incentivados a não contribuir com nenhuma entidade filantrópica, principalmente para aquelas dirigidas por alguma religião, deveriamos contribuir apenas para a Sociedade Torre de Vigia.

    ResponderExcluir
  2. Sabemos q nao eh be assim q fuciona! todos vcs q um dia foram testemunhas de jeova e q acreditam na Biblia,sabem muito bem q Jesus tinha como seu maior privilegio e ensinamento pregar as boas novas!
    se ele nao pregasse como conheceriamos a Biblia hoje?
    tds os q conhecem essa denominacao TJ,sabem q a melhor maneira d conhecer a Deus eh por meio da Biblia,pois eh uma carta d um pai amoroso!Sabem tambem q tdas essas catastrofes absurdas e essa violencia nunca vista, foi predita na Biblia.Que outra religiao pod falar com tanta clareza sobre o fim dos tempos??
    Pensem sobre isso!

    ResponderExcluir
  3. lili, infelizmente é assim que as testemunhas de jeová são orientadas pela Torre de Vigia.
    Com certeza palavras consoladoras são muito bem vindas e necessárias para um soerguimento do ser humano...Jesus sabia bem disso ao fazer suas parábolas, mas lembre-se que num determinado momento mesmo sabendo que o homem não vive só de pão ele teve que realizar 2 vezes o milagre dos pães e peixes, ou seja, o organismo humano precisa de um mínimo possível para pelo menos manter o restante funcionando...então existe todo um conjunto de coisas que um cristão deveria fazer e no caso das TJs só a pregação e vender revistas não é a coisa correta...se isemir de causas sociais, não ajudar ao próximo que passa fome literal ou mesmo não querer melhorar a condição atual de muitos que não tem nada é uma grande covardia...

    Mesmo acreditando que o mundo é governado pelo Diabo ou que vai acabar, o cristão teria que ser comprometido com as pessoas e não com uma Organização americana que se diz como sendo o ÚNICO canal de Deus.

    ResponderExcluir
  4. Estamos sentindo na pele o que as ex TJS sentiram. Abandonei essa organizacao americana de enganadores e hj passei a fazer tudo que deixei por medo de homens.
    Não me importo mais com a opiniao deles.
    jesus disse que nimguem vem ao pai senao por mim e não através das TJS.

    ResponderExcluir
  5. todos os anos recebemos livros novos com a mesma base de ensino de obedecemos somente a jeova ... e sempre estamos aprendemos cada vez mais,muitos desses livros e publicaçoes que foi usado para atingir as tj foram de 1986,1975 agora em 2009 somos ensinados que nosso amor ao proximo tem que ser de levar as boas novas mas tambem tem a parte em que se tiver ao nosso alcance de ajudar ,seja por doar um alimento ;remedio ate mesmo por limpar a casa a louça ... tanto faz simples ou nao temos que estar dispostos a ajudar...pode ser que vc apague oque escrevi e use so a parte que te interesse para atingir a jeova ;pois e ele que vc atinge ;falar mal de sua organizaçao e como se enfiasse uma agulha na menina de seus olhos ;mais ele ja deixou escrito que ao aproximar o armagedom seria perseguisao apos perseguisao e nao e o mundo que vai acabar para te esclarecer...jeova criou a terra para ser habitada....

    ResponderExcluir
  6. Dê uma olhada nesse link, por favor:

    http://www.cruzeirodovale.com.br/?testemunhas-de-jeova-entregam-moradias-construidas-em-gaspar&ctd=7023

    ResponderExcluir
  7. Quando TJ observei muito isso, morava num bairro muito carente e via muita pobreza inclusive entre os irmãos, e a orientação era alimentar essas pessoas com a palavra de Deus, e só.
    No meu íntimo eu pensava que livros e bíblias não enchem barriga, literalmente eles precisavam de pão.
    Nunca presenciei ou soube que as pessoas carentes estavam sendo ajudadas pela congregação, os irmãos sim é que faziam uma "vaquinha" e ajudavam os irmãos mais necessitados e somente eles, a Torre de Vigia nunca moveu um dedo, e todo final de mês o dinheiro das "contribuições para o reino" tinha que ser depositado na conta deles fielmente, sem choro ou vela, e muito ancião tinha que meter a mão no bolso.

    Josita
    jianina@bol.com.br

    ResponderExcluir
  8. AO ANONIMO das 10;04 aqui em maringa tem familia tj que pega cesta basica na igreja catolica isto e revoltante onde esta o amor destes lider parazitas tj.to fora desta cambada de hipócritas...........

    ResponderExcluir
  9. Olá. eu sou um estudante das Testemunhas de Jeová, vou ao salão do reino regularmente, e garanto que as Testemunhas de jeová não incentivam ou proibem nessa questão. São neutros.

    ResponderExcluir
  10. Durante os 30 anos que estou nesta organização, percebi, claramente que a TV só olha para o seu próprio umbigo. Se vangloria de ajudar em casos de calamidades, mas os seus membros pobres, vivem calamidades diárias, lutando contra a fome e pobreza extrema. Eles estabelecem uma enorme lista de profissões proibidas, incluindo as que necessitam de nível superior, que é fortemente desincentivado nas congregações, porém, não fornecem a menor ajuda aos que estão desempregados, por obedecerem às suas ordens. Fala que todos devem levar uma vida simples, no entanto, as pobres viúvas que contribuem, sustentam os luxos dos lares de Betel. Os sup.de circuito levam uma vida de príncipes, sendo paparicados por todos que lhes proporcionam uma vida muito boa,provendo-lhes lautas refeições diárias, hospedagens luxuosas e outros mimos. E muitos irmãos, sim, recorrem às instituições religiosas,muitas vezes escondido dos anciãos, para poderem ter o mínimos de subsistência. falta muito para ser seguidores genuínos de Cristo, que mantinha uma caixa para ajudar os pobres. Nos salões do Reino, tudo que é arrecadado, com exceção do que é usado para o pagamento das contas mensais, a exemplo de água, luz e materiais de limpeza, tem de ser enviado integralmente para o Escritória da Torre de Vigia. Os necessitados que que lixem.

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!