terça-feira, 19 de julho de 2011



O respeito a liberdade de crença e não crença foi uma conquista conseguida com muita luta por movimentos sociais organizados, juristas, humanistas, religiosos e não religiosos. Essa liberdade porém, requer responsabilidade, tolerância e respeito ao que consideramos "diferente". 

Ressaltamos isso, pois o tema "Discriminação religiosa" associado as Testemunhas de Jeová não tem nenhuma intenção de perseguição, difamação ou mesmo descrédito a tal denominação religiosa.
Não temos intenção de combater a instituição social religião, pois é um direito constitucional qualquer cidadão praticar sua fé, porém temos a obrigação de denunciar extremismos e fundamentalismos que porventura ocorram. Não vamos aqui discutir a veracidade ou não das crenças das Testemunhas de Jeová, pois conforme já salientado, isso é algo pessoal e constitucionalmente garantido.

O assunto em pauta e que gerou uma denúncia no Ministério Público Federal é a forma discriminatória que ex-adeptos das Testemunhas de Jeová são submetidos, chamada de desassociação ou dissociação. Trata-se de uma punição por meio da expulsão de um adepto Testemunha de Jeová, caso o mesmo, cometa algo que vá contra as regras estabelecidas pela sua igreja. Bem, mas toda instituição não tem o direito de punir ou excluir um membro? A resposta é sim, porém o que ocorre nesse caso específico da desassociação (expulsão) é que vem acompanhado de uma morte social, onde amigos e familiares são obrigados a cortarem quaisquer laços de amizade com o ex-adepto, ou seja, amigos de vários anos e familiares não podem mais nem cumprimentá-los sob risco de serem também expulsos e sofrerem as mesmas pressões e humilhações.

Muitos se surpreendem que tais situações discriminatórias ainda ocorram no nosso país e podem até achar que não é algo muito sério, mas imaginem filhos sem falar com os pais, casamentos desfeitos, amizades destruídas, pois as Testemunhas de Jeová consideram todos que saem como "mortos espirituais e sociais", pois os mesmos se recusaram a permanecer na única religião verdadeira (considerada por seus adeptos).

Então, o dia 26/01/2011 se mostra uma data importante, pois ratifica a luta contra qualquer tipo de intolerância ou discriminação religiosa no Brasil. Vivemos num país das diversidades e por isso mesmo precisamos saber respeitar e conviver com todas as formas de crenças e não crenças. 


MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO CEARÁ


Ref.: Procedimento Administrativo Nº 1.15.000.000171/2011-11
Promovente: Ministério Público Federal
Promovidas: Associação Torre de Vigia de Bíblia e Tratados e Associação Bíblica e Cultural de Fortaleza


A presente ação tem por esteio o procedimento administrativo nº 1.15.000.000171/2011-11, que segue em anexo, instaurado a partir de representação do senhor Sebastião Ramos de Oliveira, servidor público federal, em que relata a ocorrência de graves violações aos seus direitos fundamentais pertinentes à igualdade, à liberdade de informação, à inviolabilidade de consciência e de crença, assim como à proteção à família patrocinadas pela ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE
BÍBLIA E TRATADOS, que representa as Congregações das Testemunhas de Jeová no Brasil, bem como pela ASSOCIAÇÃO BÍBLICA E CULTURAL DE FORTALEZA, entidade que representa, no Estado do Ceará, a dita congregação, situada na Rua João Cordeiro, Nº 2379, Fortaleza-CE.

Para baixar essa Ação Civil Pública que detalha em 38 páginas a discriminação praticada pelas Testemunhas de Jeová a ex-adeptos clique no link abaixo:http://www.4shared.com/document/sjWdhCI3/MPF.html

Para acompanhar toda a movimentação acesse o Fórum Ex-Testemunhas de Jeová:
http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=16&t=9178&p=167749#p167749


7 comentários:

  1. O Dia 18/07/2011 já entrou para a história da dissidência! É o começo do fim do horror da discriminação praticada, incitada e incentivada pela seita Torre de Vigia!

    Trata-se de uma Ação Civil Pública proposta nada mais nada menos do que pela Procuradora da República do Ministério Público Federal que pode alterar os livros da Torre no que diz respeito às consequências que são impostas e incitadas aos ex-membros que foram desassociados e dissociados, em razão de incitação à discriminação religiosa, violação aos direitos humanos e segregação à convivência familiar, exclusão familiar, alienação parental, incitação ao ódio aos ex-membros e pessoas que não fazem parte da seita, influência maligna da pessoa jurídica Torre de Vigia na família, etc....! Nem o Estado pode intervir na família quanto mais uma seita dos EUA comandada por velhos mais malvados que os nazistas! É dia de alegria!
    Ricardo Oliveira.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente magnífico! Parabéns ao Sebastião e a todos os envolvidos. Agora sim a coisa está interessante. O processo contra os anciãos não teria muito significado, mas agora contra a Torre, a história é outra.

    Amigo, se eu pudesse eu estaria aí em Fortaleza lutando ombro a ombro, mas infelizmente as situações gritam mais alto e me impedem de assima agir. O mesmo eu penso dos demais foristas. Cada um tem seu agravante que o impede de agir na luta nas ruas e orgãos públicos. Espero que você compreenda a situação de cada um e que aceite a nossa força pois temos forte confiança que desta vez vai haver resultado.

    Força Sebastião Ramos.

    The Pilgrim.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado meu caro, por detectar a importância desta nova ação. Nossa luta, realmente, não tem sido muito fácil, mas as sementes certamente, continuam sendo plantadas em solos fertilizados. Existem leis no Brasil para coibir toda sorte de intolerância e discriminação, inclusive, por motivações religiosas. A Torre de Vigia, terá que tomar outro rumo, isto é, se quiser permanecer em território brasileiro.
    Sebastião Ramos.

    ResponderExcluir
  4. parabéns ao seu senhor sebastíão (judas ) ramos , e ao caro e digníssimo pascoal (iscariótes)naíb vcs sentirão um pouquinho o gostinho da vitória mais não se esqueçam , sua luta é contra Deus e não contra homens
    assinado ; a verdade dói !!!!! e como dói kkkkk

    ResponderExcluir
  5. clóvis diz:que comentário lamentavel do cidadão que criticou o SEBASTIÃO RAMOS e o PASCOAL NAÍB que estão travando uma luta árdua contra uma religião que arbitrariamente ORDENA os seus menbros a discriminarem cidadãos de bem como se fossem marginais perigosos.Esse cidadão é tão inguinorante e otário que ainda acredita que uma religião governada por homens e que ensina doutrina humana seja realmente abençoada por DEUS.O meu comentário é feito com base no GRANDE conhecimento que possuo das TJ's,pois fui menbro ativo por mais de 25 anos ,tendo participado de todas as atividades da congregação.Por isso posso dizer com toda certeza que essa religião não difere das demais religiões da cristandade que seguem ordens e doutrina de homens.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela luta. Eu como espírita (uma religião discriminada) sei como é importante lutar contra o preconceito.

    Isso não é religião, isso não tem nada a ver com Jesus que pregou o amor.

    ResponderExcluir
  7. Religionários e louvaminheiros formam grande camarilha e todos, entre si, à custa da simplicidade dos adeptos conquistados, promovem realizações escusas e escandalosas como só a STV consegue levar a efeito. Tenho comigo que essa Torre de Vigia, sediada nos States e comandada quase que exclusivamente por americanos, bem pode ser uma sub-agência da CIA (Agência Central de Inteligência), e por certo estreitamente ligada aos Illuminati. Assim, cada membro TJ, cada vez que preenche e entrega seu relatório mensal de atividades, está desempenhando atividade em prol do governo americano, de seu serviço de inteligência e de outros interessados.

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!