sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Eles me prometeram o paraíso. O sonho de obter as respostas que tanto afligem nosso ser existencial. Eles fizeram do nosso sonho uma inenarrável realidade próxima. E sobre esses sonhos construímos amizades que julgávamos eternas, redes de relacionamento comerciais, namoramos e casamos com outros sonhadores, aceitamos a definição dada por eles do que seria a verdadeira paz mental, do que era lícito e ilícito, do que era moral e imoral, do que era amor e “ódio divino”.

E um dia descobrimos que o “sonho” era menos que um sonho comum, era diferente de uma utopia saudável. “E tudo ficou tão claro, o que era raro ficou comum, como um dia depois do outro, como um dia, um dia comum” (Terra de Gigantes – Humberto Gessinger). Descobrimos que o preço que pagávamos por esse sonho era alto demais, reprimia, machucava, o sapato que tínhamos de usar era muitos números aquém do que precisávamos para ter proteção junto com conforto.

E um belo dia você acorda do sonho e não sabe se continua fingindo estar dormindo ou se acorda e desperta também os outros. Não sabemos se os outros querem ser acordados. Tirar pessoas de seus sonhos pode ser algo muito cruel. Foi por isso que desde certo tempo entendi que não mais me cabe ajudar a quem está dentro de uma religião, a qual eu pertenci por anos a fio, e tem medo de enfrentar as agruras que implica saber a verdade sobre “a verdade”.

Fui testemunha de Jeová e lá dentro conheci pessoas boas, puras de intenções, pessoas muito bonitas interiormente que devem isso à sua natureza e criação ou qualquer outro motivo totalmente alheio à doutrinação desta fria igreja. Todas as pessoas, mesmo as que creio gostarem de mim, que tento explicar o que representa para ex-testemunhas o rompimento com a seita, demonstram alguma empatia e solidariedade ao me ouvirem, mas no final noto que eles jamais conseguirão entender plenamente, a não ser que também tenham vivido semelhante experiência “divina”.

Refiro-me à organização das Testemunhas de Jeová como uma seita. Todos os direitos de representá-la, aprovar, revogar ou criar novos “entendimentos” das passagens bíblicas pertencem à Watchtower of Bibles and Tracts, uma empresa que possui um patrimônio incrivelmente grande. Apesar deles se sentirem ofendidos e “criminalizados” quando são chamados de seita, isso por si só não faz com que deixem de sê-la. Entendo por seita os grupos que misturados às “leis de Deus” possuem doutrinas e dogmas originados explicitamente de algum líder que teve uma “revelação do Espírito Santo” ou qualquer outra entidade invisível. Os Mórmons, TJ´s e outros. Pode até ser (quem sabe) que alguma entidade metafísica tenha entrado em contato com tais “iluminados” mas daí a ter certeza que eram de origem “divina” já são outros 500. Basicamente as Testemunhas de Jeová tem as suas peculiaridades mais distintas advindas de interpretações de passagens da bíblia em conjunto com acontecimentos históricos explicadas por um grupo seleto e limitado de homens que constituem o tal “Escravo Fiel e Discreto”, a saber, o Corpo Governante com endereço na sede em Brooklin, USA.

Vou tentar simplificar como funciona a lógica da seita, que não difere de muita da usada por tantas outras. Ingredientes:Uma profecia bíblica, um evento de importância histórica mundial e um sistema de contagem de datas, que em alguns casos nos obriga a fazer um contorcionismo mental, para “provar” que tal evento cumpriu uma das profecias e que por isso temos que estar atentos aos “sinais” de cumprimento de outras mais determinantes. Se na tal data prevista nada ocorrer, foi porque as pessoas se precipitaram em entender errado, nunca eles assumem que ELES que construíram um profecia errônea. Ninguém pode contradizer a explicação do “Escravo Fiel e Discreto” sob pena de cometer “apostasia” contra os ensinos passados “pelo Espírito Santo”, mas se der errado... aí “TODOS NÓS” nos enganamos. Deu pra sacar como isso é engenhosamente manipulado para tocar a seita com seus dogmas e profecias fajutos?

Quer saber mais sobre essa “religião”? Fiz um site quando saí de lá: http://www.torredevigia.cjb.net . Essa foi minha contribuição para quem realmente quer saber o outro lado das história de pessoas que foram de lá e quando acordaram para os absurdos que ocorrem foram “demonizadas” pelos líderes.
Abraço a todos.
Texto de Caíque Santos.


7 comentários:

  1. Parabens !!! poucas palavras, porem fidedignas !

    ResponderExcluir
  2. Você falou uma coisa certa sobre seitas. Elas existem dentro de todas as religiões cristãs dos nossos tempos, não só as TJS.

    Mas, isso estava profetizado, mas muitos não sabem. Veja só, no tempo dos apóstolos, começou tudo certinho, mas depois entraram umas seitas e corromperam o cristianismo do primeiro século.

    Ou seja, pela lógica isso ia mesmo acontecer com o cristianismo. O apóstolo Paulo disse que iria entrar nas igrejas e congregações do Senhor seitas destruitivas.

    Não é que as Testemunhas de Jeová sejam seitas. A história oficial base da religião é muito bonita e correta. O número de testemunhas de Jeová dedicadas que morreram no campo de concentração nazista, dos triângulos roxos, mostram a fidelidade deles.

    A questão é que no tempo do fim - diz a bíblia - iria entrar em todas as congregações seitas destrutivas para corromper o povo de Deus.

    Veja, não é que as Testemunhas de Jeová, ou Adventista ou outra qualquer seja uma seita. Começaram normal, as seitas entraram depois, com esses processos de modernização, informatização de tudo, fazendo tudo ficar tecnológico demais, moderno demais, corrido de mais, frio demais.

    Agora, só se estudam a Bíblia no computador, na Watchtower Library (que pode ser manipulada por hackers mau intencionados), podem manipular pela Internet inclusive as santas escrituras. Quem? Qualquer um moleque que saiba bem informática.

    Essas seitas iriam entrar em todas religiões cristãs. Em outras denominações TAMBÉM está entrando esse pessoal, que querem fazer da casa de Deus um comércio de vendas de livros e revistas.

    As Tjs no Brasil, ainda bem que não cobram mais dízimos ou pelas literaturas. Mas, em compensação a cobrança em termos de campo, boa atitude, estudo pessoal, tal... Enloquece qualquer um! Até os mais teocráticos. E com a entrada dessas seitas, eles querem que todo mundo fique que nem robô, com uma mente só, como se eles (os da seita) se comunicassem telepaticamente. Está esquisito o povo de Jeová nesses tempos! Eu não consigo ir na congregação mais, não!

    Eles acham que uma pessoa que comete pecados como gula e preguiça peca tanto como outras pessoas que fazem coisas piores. Eles não pessoas que são gordas! Não perdoam. Querem fazer todo mundo comer salada agora, viver em academias a serem jovens saudáveis e sorridentes.

    Nem parece mais um local de estudo religioso, parece mais um ponto de encontro de belas pessoas. (Laodicéias, claro, as que mais tem). TJS Filadelfianos e tradicionais são difíceis de achar. Só os mais idosos mesmos mantém a tradição.

    Eles querem unificar o cérebro dos outros e parecem que até sabem o que a gente pensa. È a seita. Pode ser a tal da Opus Dei, sei lá. Mas, estão entre nós, mas nunca saberemos quem são, pois eles se vestem e falam como as TJS originais, mas não são. As Tjs originais sabem argumentar e ter resposta próprias, o pessoal da seita fala decorado.

    Mas, veja, não é que as TJS sejam uma seita. As seitas estão dentro de muitas congregações e igrejas, conforme vai se aproximando o fim.

    ResponderExcluir
  3. Ótimo este texto do Caique! Me identifiquei com ele em tudo,e acrescento mais,sofro até hoje tanta injustiça que passei.Não sou desassociada, mas fui perseguida dentro desta seita,onde meu Pai era ancião,e eu não quis me batizar logo.Esperei mais tempo,porque minha irmã mais velha, foi obrigada á se batizar com 12 anos! e ela não queria e não gostava de seguir a religião.Sofro porque perdi meu tempo e tenho depressão pelos traumas e angustias que passei.Lidia

    ResponderExcluir
  4. otimo texto.
    as tj,s são inocentes na sua cegueira.só enxergam e ouvem o que á torre diz e pior não tem nem o direito de pesquisar.
    é triste!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizem q nao tem direito de pesquisa, mas uma boa parte dos que leem esses sites , sao tjs. A curiosidade é inata nos humanos, e é isso que faz libertos desses malditos grilhoes milhares que se desligam disso. Viva a curiosidade e direito de escolha, pena que nessa de ``livre arbítreo`` a maioria vive cegada,e discriminada!!!!

      Excluir
  5. Olha, a cada vez que abro novos blogs ou sites acerca das TJs, constato também que a intolerância é de ambas as partes, caso contrário não se estaria descendo a lenha neles e no seu comportamento qual agremiação religiosa.

    As TJs, assim como qualquer outra entidade religiosa, tem nos seus membros pontos positivos e negativos; em todas elas, além, claro, da doutrina básica da fé que deve ser a Bíblia.

    Os Adventistas tem muitas semelhanças com os TJs, muitas mesmo, uma delas é a questão milenarista. Algumas colocações são bem parecidas, mudando aqui e ali; vejo isso acompanhando alguns programas na TV Novo Tempo, em alguns de seus programas, porém noto que existem diferenças muito grandes,uma delas sendo com relação à versão da Biblia Tradução do Novo Mundo.

    Não concordo com vários aspectos da pregação ou, da pseudo pregação com relação a alguns temas bem específicos, como por exemplo ser o uso de barba anti-bíblico, já que nas Escrituras em nenhum momento se fala a este respeito. - Alguns mandamentos mais específicos eram para os israelitas, pois deveriam ser diferentes; porém, se a barba fosse anti-bíblica, como explicar seu uso por Jesus mesmo após ele mesmo invalidar, digamos assim, a antiga lei em pontos que 'infrigiam coisas pesadas aos seguidores'.

    Por outro lado, quem se associa com as TJs aceita suas regras, assim como é comum a todo aquele que deseja pertencer a algum grupo, agremiação ou entidade. Neste aspecto, não temos como criticá-los, assim como eles também não tem esse direito, embora em ambos os lados, todos nos apeguemos a ensinamentos de nossas proprias religiões ou seitas e façamos críticas em represália e em comum.

    Não obstante nos sentirmos alijados até como seres humanos por nao fazermos mais parte de tal grupo religioso, eles também não podem impingir ensinamentos que mantenham adeptos pelo medo, usando o 'desagrado de Jeová' como ponto fundamental para disseminar a teologia de sua crença.

    Sou crente em Jeová Deus, Cristo Jesus e nos ensinamentos da Bíblia. - Acredito e sou testemunha pessoal da atuação de Jeová e do Espírito Santo em minha vida e da minha família; tenho visto o atendimento de minhas orações, que pedem apenas e tão somente sabedoria, proteção e perdão por tudo o que fiz de seu desagrado.

    Descriminação e preconceito nao tem lugar no mundo atual, embora existam em quantidade tal que sao promovidas ações violenta e barbáries em seus nomes. Isto não quer dizer que sejamos benevolentes com atitudes que nada tem de aprovadas por Deus, como, por exemplo, aceitar de livre e expontanea vontade, como normal, o casamento gay.

    Princípios existem e deles não podemos abrir mão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo o blog do nosso irmão é para tirar o peso que os homens colocam sobre seus ombros Jesus é o fim da lei resumiu tudo em 2 leis apenas amar de Deus e ao próximo como a ti mesmo fazendo isso pronto está tudo certo o mundo vai se tornar num paraiso esse é o segredo da vida agora sabe pq são parecidas as TJ e os Adventistas?

      A ORIGEM DA IGREJA ADVENTISTA DO SÉTIMO DIA

      A Igreja adventista tem duas origens distintas. A primeira está ligada ao nome ADVENTISTA. Não era para ser uma nova igreja, mas era uma crença na segunda vinda de Cristo pregada pelo pastor Guilherme Miller. A segunda está ligada ao nome SÉTIMO DIA, totalmente contrária a fé de Miller e implantado por uma mulher chamada Ellen G. White.

      A crença do adventismo foi iniciada em 1818, por Guilherme Miller, um fazendeiro americano. Sua família foi toda batista. Havia entre seus primos alguns que eram pastores batistas. Mesmo assim desviou-se em 1810, e só regressou depois de ter servido o exército em 1814. Ao aceitar Jesus mergulhou ele num profundo exame da Bíblia. Atraíram-no particularmente as passagens de Daniel e do Apocalipse, levando-o a investigar a data mais provável do fim do mundo.
      A ORIGEM DOS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

      Esta seita foi formada por um homem que sentia verdadeiro ódio pelas comunidades cristãs. Seu nome era Charles Taze Russel, nascido na Pensilvania em 1852. De origem presbiteriana, passou pela igreja Congregacional e se tornou membro da nova seita, a dos adventistas do sétimo dia. Durante muito tempo foi um verdadeiro fã do adventismo. Tomando o seu próprio caminho, começou a fazer estudos bíblicos semanais com um grupo composto inclusive de pessoas de outras igrejas evangélicas. Não demorou muito, lançou sua própria profecia, em nítida semelhança ao fundador do adventismo: "A segunda vinda de Cristo se daria em 1914".

      Logo começou a discordar de muitos pontos doutrinários dos adventistas e, em 1872, reunindo alguns simpatizantes de suas idéias, começou a organizar o movimento que hoje é conhecido como "Testemunhas de Jeová". Antes desse nome tiveram muitos outros. Somente entre os anos de 1817 a 1826, mudaram suas doutrinas nada menos que 148 vezes. Nem que Jesus é Deus. Dizem que o Espirito Santo não é uma pessoa inteligente. Jesus era o arcanjo Miguel. Não existe inferno, além muitas outras heresias que só eles mesmos para acreditar. Pior, como tudo que é errado tendem a crescer cada vez mais.

      Tudo farizeu e se vc está associado a qquer uma dessas ou outras vc é um farizeu, vc é um servo do diabo que usa as religiões para distribuir o ódio e o fanatismo..

      Excluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!