sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007


Por que uma pessoa se submete a outra, de forma tão obediente e servil? Por que uma denominação seja religiosa ou não, consegue impor certas ideologias que se mostram por vezes, as mais absurdas, e mesmo assim o adepto nada questiona e se duvidar luta por tal empreendimento com um ardor incansável?
“Costuma-se ter uma imagem pobre dos membros de seitas religiosas. Não se admite facilmente a conversão de uma pessoa “normal”, porque se acredita que somente indivíduos psicologicamente doentes ou que sofrem alguma patologia social é que podem ser integrantes delas”.
Bem, a maioria de nós quando adentrou as Testemunhas de Jeová, não tinha nenhum desvio de conduta psicológica, então o que nos chamou atenção? Nesse caso principalmente para quem escolheu entrar, pois existem pessoas que já nascem numa família de Testemunhas e a sua aspiração e motivação vão ser diferentes, podemos até depois trocar idéias sobre esse caso em especial.
Bem, mas retornando o assunto: o que nos fez aceitar como verdade tudo o que a Torre de Vigia tinha como doutrina? Bem, poderíamos citar: busca de segurança e de certezas, superar algum problema particular, necessidade de guias espirituais, a convicção de ter razão sobre algum assunto. Podemos fazer dessa lista algo interminável, mas tudo isso que foi dito, provém de algo maior, algo que é imanente, que é do gene do ser humano, que está embutido em nosso ser.
O poeta Balzac diz: ”Aprende uma coisa, porém, grava-a em tua mente que ainda é tão maleável: o homem tem horror à solidão. E de todas as espécies de solidão, a mais terrível é a solidão moral”. O homem é um animal social, sempre, em raros casos ocorre o contrário, quer estar perto de outra pessoa, isso seria um medo da solidão física. Já o medo da solidão moral é aquela intensa necessidade de comungar com outras pessoas suas idéias e seus ideais, de se sentir alguém frente a um universo que se mostra infinito e misterioso.


Categorias:

3 comentários:

  1. Creio que a forma melhor de se analisar uma religião ou seita, para ver se vale a pena acatá-la, é analisar o seu fundador!!!! Se o fundador for um homem comum, há poucas chances de a seita ser válida. Somente a religião que tem por fundador o próprio Deus é que pode ser digna de fé. De todas as seitas ou religiões hoje existentes, somente uma tem esse privilégio, que é a religião que nasceu com Jesus Cristo, ou seja , a Católica Apostólica Romana, por isso São Paulo disse em sua carta aos Efésios: Há uma só fé e um só batismo....

    ResponderExcluir
  2. Olá , bom dia |||

    Concordo com autor deste texto . Fui ancião e cedi o privilegio de forma voluntária . Não sou mais ancião e ainda estou como Testemunha; mas inativo . As veses havia discussões nas reuniões de anciãos , e isso eu me sentia mau.
    Havia alguns anciãos muito perfeccionistas . Estavam moldados no que vinha de Betel . Eram como se estivessem tidos uma lavagem celebral. Tanto anciãos e viajantes só fazem o que Betel mandam ; são dominados pelo Corpo Governante . Se não fizerem serão desassociados ; e isso me incomodava. hoje vivemos num País totalmente democrático one predomina a liberdade de opinião e de expressão . Foi por isso e outras coisas mais que entreguei o privilegio . Vou citar um exemplo de arrependimento de um irmão que tinha um excelente emprego com estabilidade financeira e ele decidiu deixar o emprego para trabalhar voluntariamente como voluntario de tempo integral; não deu certo o seu trabalho e voltou para sua cidade de origem e hoje está arrenpendido de sua decisão precipitada . Foi feito neste irmão uma lavagem celebral . Pergunto : por que os vianjantes só fazem o que Betel manda ? respondo : porque são pagos pelos os irmãos atraves de donativos e Betel repassam a eles . Se paga o INNS de todos eles ; foram o reembolso que recebem do escritorio .

    Não vou me identificar .

    ResponderExcluir
  3. Bom dia.
    Me permita discordar, respeitosamente do nosso amigo anônimo, quando fala que a "verdadeira religião que nasceu com Jesus Cristo", referindo-se a igreja católica romana. Jesus não trouxe consigo uma nova religião, mas um novo conceito de nova vida. Uma vida partilhada na comunhão com Deus e somente com Ele. Essa comunhão com Deus (repito, só com Deus) é o que nos faz entender o quanto somos pecadores e que por meio da "Graça" de Deus é que somos justificados para ter acesso ao Criador. O cristianismo sim, fundamenta suas raízes em Cristo e vive por meio dele. Religião em sim apenas cria "pessoas religiosas", e religiosidade não não significa absolutamente nada. Jesus sempre questionou, e colocou em cheque a "religiosidade" dos fariseus de sua época porque se mostravam muito religiosos exteriormente, mas no seu íntimo eram terríveis e implacáveis com o próximo. Não é a igreja (seja qual for a sua placa denominacional) que celebra e cultiva a verdadeira religião. A religião pura você encontra em Tiago 1.27: "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo". Abraço a todos. Valter

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!