terça-feira, 17 de abril de 2007

Entre quatro paredes vale tudo? Se fosse feita essa pergunta a vários casais pelo mundo a fora, a resposta iria variar bastante e pasmem, muitas dessas respostas seriam influenciadas pelo que a pessoa crê, ou seja, sua religião. “Sexo e Religião, todo mundo sabe, são duas das coisas mais importantes na vida das pessoas e os dois lados de um dos conflitos mais antigos da humanidade”. Muitas religiões transformaram no decorrer do tempo, o sexo, como algo vergonhoso e carregado de culpa, algo que não se discutia de forma clara ou num bate papo entre pais e filhos. É certo que muito se mudou desde então, e que a questão do sexo e da sexualidade está mais em evidência, seja por programas governamentais que visam uma educação sexual, seja por religiões que resolveram abrir mais o diálogo sobre esses pontos, porém em certas religiões o controle sobre a vida íntima das pessoas pode ocasionar repressão e tabus, e aí, podemos refletir um pouco sobre danos psicológicos causados a seus adeptos.
“A questão sexual sempre é tratada como tabu por parte de muitos religiosos. Muitas vezes ouve-se apenas sussurros sobre algo relacionado a esse tema. O constante associar de relação sexual e pecado, torna ainda mais difícil para um crente expor seus desejos. Não podemos nunca levar nada ao extremo, seja colocar o sexo como algo a ser praticado sem conseqüência ou mesmo proibi-lo de forma taxativa como algo imoral”.
Entre as Testemunhas de Jeová o controle das normas sociais é algo bastante acentuado, pois até mesmo a família de sangue que não faz parte dessa denominação religiosa é afastada do adepto, como forma de não influenciá-lo para voltar ao “mundo”, ou seja, as antigas atividades normais de uma pessoa, tais como aniversários, comemoração de feriados, amizades com outras pessoas que não fossem da seita, tudo isso é proibido e taxado como demoníaco. A repressão sexual é mais uma das ferramentas usadas pela Torre de Vigia para inculcar os programas da seita. Não vamos entrar no mérito da questão sobre práticas sexuais, e sim como certos mecanismos de controles baseados na repressão sexual funcionam como alienação da pessoa frente ao mundo e sua vida.
George Orwel no seu livro 1984 já colocava a importância da repressão sexual para criar pessoas mais fáceis de subjugar: ”Havia uma ligação direta e íntima entre a castidade e a ortodoxia política. Como poderiam ser mantidos no tom o medo, o ódio e a credulidade lunática que o Partido necessitava nos seus membros, a não ser pelo engarrafamento de um poderoso instinto, usado como força motriz? O impulso sexual era perigoso ao Partido e o Partido o transformara em vantagem ao seu favor”.
Quanto mais tempo a pessoa ficar virgem, reprimida, melhor para a Torre de Vigia, pois aí, têm-se um fervoroso divulgador das suas doutrinas. O nocivo não é a pessoa decidir se quer ficar virgem ou não, isso é uma questão pessoal, mas quando uma Organização incentiva essa castidade mediante promessas falsas. Muitos deixaram e deixam de se casar mediante uma promessa que esse mundo está perto de ser destruído e que é mais vantajoso pregar as “boas novas” do que se casar ou constituir família, pois isso pode ser feito num “Novo mundo”. Isso é desumano.
Observamos assim um número alto de casamentos prematuros entre jovens Testemunhas de Jeová que não conseguem controlar seu impulso sexual. A relação sexual entre o casal é monitorada, pois certas práticas sexuais, como sexo oral e anal são proibidas, criando até mesmo culpa e necessidade de relatar aos “anciãos” ou pastores da congregação algo que o casal considere como transgressão. George Orwel explica isso dizendo:” O objetivo do Partido não era simplesmente impedir que homens e mulheres criassem lealdades difíceis de controlar. Seu propósito real, não declarado, era roubar todo o prazer ao ato sexual. O partido estava procurando matar o instinto sexual ou, se não fosse possível matá-lo, torcê-lo e torná-lo indecente”.
Neste aspecto, a linha doutrinária da organização mantém-se imutável desde o início. O mecanismo é este: esperar a vinda do Armagedom (destruição do mundo por Deus) e formar família apenas no Novo Mundo. Assim sendo, a forma de controle da Torre de Vigia não se limita apenas ao campo espiritual, pois a necessidade de gerar lealdade por parte de seus adeptos está em colocá-los em constante auto-flagelações espirituais e a necessidade de culpa para poder obter redenção através do que é proposta pela seita.


2 comentários:

  1. ...; Esta eu não conhecia..., sinceramente, recuso-me a acreditar em tamanha incoerencia...; quer dizer que na ressurreição, os que forem habitar na terra irão se casar, e gerar filhos?, carne e ossos como nós?; hhuuuummmmmm!?;Mat.22:29,30; I Joa.3:2; creio que seja o efeito das profecias mal compreendidas dos profetas do "AT", principalmente Isaias; Isa. 65:17ao25; Sal.37...; que são na verdade, sombra das coisas futuras!;Col.2:17...; Hbr.10:1; 11:13ao16,39e40..., entre outros. Questão de ótica(espiritualidade), fazer o que!?

    ResponderExcluir
  2. São por estas interpretações bizarras que os TJs. são considerados os mais estranhos "cristãos" da atualidade.
    A bílbia afirma que na outra vida nós teremos o sexo dos anjos. Alguém conhece algum anjo que tenha filhos. Alguém já viu falar em "anja"?

    Não confundam a eternidade com o milênio de paz. São duas situações bem diferentes.

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!