terça-feira, 3 de abril de 2007

Numa época como a nossa em que a intolerância nos seus mais variados círculos se manifesta de forma grotesca, nada mais interessante que saber a opinião de um dos grandes pensadores da humanidade sobre tal assunto: Voltaire (1694-1778).

“Dir-se-ia que fizemos voto de odiar os próprios irmãos, porque temos religião suficiente para odiar e perseguir e não a temos suficiente para amar e ajudar”.

“O grande meio para diminuir o número dos maníacos, se ainda houver deles, é de entregar essa doença do espírito ao controle da razão que esclarece lentamente, mas infalivelmente os homens. Essa razão é suave, é humana, inspira a indulgência, abafa a discórdia, confirma a virtude”.

“Seria o cúmulo da loucura pretender levar todos os homens a pensar de uma maneira uniforme sobre a metafísica. Mais facilmente se poderia subjugar o universo inteiro pelas armas do que subjugar todos os espíritos de uma só cidade”.

“Tu (Deus) não nos deste um coração para nos odiarmos e mãos para nos degolarmos; faz com que nos ajudemos mutuamente a suportar o fardo de uma vida penosa e passageira; que as pequenas diferenças entre os trajes que cobrem nossos débeis corpos, entre todas as línguas insuficientes, entre todos nossos costumes ridículos, entre todas nossas leis imperfeitas, entre todas nossas opiniões insensatas, entre todas nossas condições tão desproporcionais a nossos olhos e tão iguais diante de ti; que todas essas nuances que distinguem os átomos chamados homens não sejam sinais de ódio e de perseguição”.


Categorias:

Um comentário:

  1. PASCOAL,a musica de JHON LENON ( imagine ) diz tudo.um abraço continue com sua empreitada.

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!