quinta-feira, 5 de março de 2009

Apesar de tudo o que se diz na contramão sobre nossos tempos, acho que é fácil dizer que atualmente vivemos algumas particularidades que dão novo ânimo para algumas questões sociais. Me concentrando em um só aspecto de nossas vidas falarei da liberdade. Na maioria dos países ocidentais esta é uma conquista e para muitos é uma diferença muito grande as condições em que viveram seus antepassados durante os séculos 19 e parte do 20 e como vivem agora. De costumes que perpetuavam como a prática da escravatura e a exploração se passou a ter pelo menos em papel uma "igualdade" e "liberdade" extraordinária para todos os cidadãos.
Sendo a liberdade uma das conquistas mais preciosas que temos, nos surpreende que muitas pessoas estejam dispostas a entregar a organizações como as religiões essa possibilidade de outras pessoas decidirem sobre nossas vidas. Sendo mais específico estou pensando no que ocorre quando uma pessoa chega a ser TJ e o que isto significará para ela pelo resto de sua vida.
A perda da liberdade será gradual. São poucas as pessoas que se dão conta de início que algo de anormal está ocorrendo e saem. A maior parte dos indivíduos assume que este é um novo modo de vida e que tem que refazer sua vida para agradar algo maior (Deus) e pensam estar passando por um processo normal dentro dos limites tradicionais. Quase sempre quando a pessoa já tem uns cinco anos dentro da Torre de Vigia, possue dúvidas recorrentes quanto ao que se está fazendo, porém não são suficientes para que se questione ou se retire. Deste momento em diante começa um processo no qual seguirá vendo coisas que cada vez mais serão difíceis de entender, mas serão toleradas e justificadas em nome de um propósito divino futuro. Se ocorre um acontecimento que envolva a pessoa de forma direta, como um abuso de poder, má conduta de alguém ou algum tipo de desonestidade é possível que a pessoa reaja e sua consciência seja despertada e decida que este lugar não é o que ela esperava e se retire.
Se isso não acontecer a cada dia as raízes irão ficando mais profundas: familiares tornando-se Testemunhas de Jeová, filhos crescendo e sendo doutrinados com estas crenças, toda círculo de amizades do qual depende sua vida social será somente de "irmãos" de fé que o manterão reféns dessa forma de viver. Eventualmente, por mais sérias que sejam as dúvidas as correntes se farão mais fortes e mais pesadas e a sensação de dependência fará com que a pessoa permaneça na posição em que está: paralisada seja pelo comodismo ou pelo medo de ver tudo o que mais ama (família, amigos) ser afastado de uma forma desumana.Rapidamente se passam 20, 30, 40 anos ou mais dentro de uma "verdade" fictícia sobre a qual se tem muitas dúvidas, mas que nunca ousou questionar. A realidade dói muito e o investimento que se fez é considerado demasiado grande para se jogar ao vento resultando num deprimente consolo com máximas como a de “esperar em Jeová”.
Peço-lhe que medite sobre o que foi escrito e veja se este é seu caso e sugiro que faça uma avaliação firme de sua vida e a direção que ela está tomando. Decida se vale a pena seguir vivendo uma mentira pela qual você tem entregado sua liberdade e individualidade. É verdade que o tempo perdido nunca se recupera, mas pense que o futuro poderá ser melhor e faça essa constatação apenas olhando ao seu redor e veja o que tem conseguido seus "irmãos" de fé que passivamente tem seguido esse estilo de entregar sua capacidade de pensar a uma Organização que repetidamente se mostra falha em relação a dogmas e fundamentalista ao expor seus adeptos até mesmo a risco de morte (questão do sangue).



14 comentários:

  1. Achei o seu texto muito bom e gostaria de tê-lo lido há alguns anos. Quando as coisas deixaram de fazer sentido para mim e saí da organização, mantive uma postura, que na época acreditava ser a melhor, de não tentar influenciar ninguém que ainda estivesse dentro. Uma grande amiga veio me pedir conselhos porque estava se sentindo muito perdida e desiludida com a congragação. Não tive coragem de incentivá-la a sair porque considerava uma decisão muito particular e que, a curto prazo, era muito dolorida. Então, decidi permanecer neutra. Ela nunca mais me procurou e hoje continua na organização. Parece feliz. Mas, hoje, sinto que perdi a oportunidade de contribuir para que uma amiga também saísse das amarras dessa sociedade.

    ResponderExcluir
  2. eu só acredito em jeová O DEUS TODO PODEROSO más na torre de vigia eu não acredito,tou fora dessa organização,saé dela por pesquisar na internet,basta digitar "testemunhas de jeová" no google e descobrirá toda a verdade

    ResponderExcluir
  3. Este texto é muito bom, me fêz lembrar muito minha mãe que é tj a mais de 40 anos, é uma pioneira exemplar e fervorosa na verdade. Nem mesmo com abuso de poder contra ela própria, a fez pensar ou desanimar. Certa vez um ancião dirigente de grupo de estudo, o qual acontecia na casa dele, no final da reunião no salão do reino chamou-a em um canto e abriu a bíblia mostrando um texto(nao sei dizer qual é) dizia sobre as mulheres mais velhas que devem dar o exemplo as mais novas estando bem trajadas no vestir. E sabe porque? Ao frequentar a casa deste ancião nos estudos, sem querer, por descuido, distração, a saia dela as vezes ficava dobrada e ela sentava em cima da dobra, e isso deixava suas pernas um pouco mais à mostra, mas de modo algum ela fazia isso propositalmente, ela não percebia. Eu e meu pai achamos absurdo, porque este ancião não pediu delicadamente para que a esposa dele ou outra irmã desse um toque para ela? Afinal minha mãe é uma senhora de 70 anos e com certeza não estava querendo se exibir.
    Minha mãe ficou sentida, mas nem passando por isso a fêz pensar, aceitou humildimente, pois afinal a dura veio de um ancião e ela respeitou.

    ResponderExcluir
  4. "A religião deve prestar ao papel de "BÚSSOLA" e não ao de "TERMôMETRO" dos fiéis..."
    A "consciência" do fiél é que deve ser o seu "TERMÔMETRO"...

    Grato!

    ResponderExcluir
  5. Isto é muito relativo, pois há casos em que não é preciso nem de bússola nem de termômetro, pois as condições morais da pessoa já é óbvia, é só usar o "Bom senso".
    E se fosse a mãe dele ?

    Grato!

    ResponderExcluir
  6. Desculpe amigo(a) "anônimo I", se não fiz-me entender melhor!, é que eu centrei minha opinião mais no tópico do Pascoal Naib, acima, do que nas respostas...; sei que questão sobre moral é óbvia; porém, questão sobre moral/religiosa, mais conhecida como, "doutrina/religiosa", o ser humano inventa muito, ou seja, sobrecarrega mais os fiéis do que a palavra de Jeová ensina; At. 15:10...; respeito tua opinião, também creio que o referido ancião foi muito infeliz, nesta postura!...

    Grato!

    ResponderExcluir
  7. Amigo (a)Anônimo II : Sendo que o ser humano inventa muito, sobrecarregando os fiés, mais do que Jeová ensina, tudo indica que a organização terrestre de Jeová não é perfeita. Desta maneira como podemos então ter certeza de que este é o caminho, sendo que muitas outras religiões também tem a convicção de estar no caminho certo?
    Acredito que o nosso Juiz Celestial julgará cada um pelo coração e não pela organização a qual pertencemos. É o que penso.

    Grato.

    ResponderExcluir
  8. Marcon escreveu.

    Em se tratando da parte espiritual, entendo que Deus não atribuiu a homem algum a condição de fiscalizar e muito menos julgar ao seu semelhante. Quando falo em homem algum, incluo Padres, Papas, Pastores, Corpo Governante, Ansião, etc. O que êles devem fazer é ensinar, daí para a frente a responsabilidade é de cada um aceitar ou não o ensinamento. Jesus afirmou: Primeiro tire a trave que está em teu olho, para depois te preocupares com o cisco que está no olho do teu próximo. O que estes "fiscais" fazem com seus "discípulos" é a mais pura hipocrisia. Podem observar que via de regra, êles condenam nos outros exatamente aquilo que é a sua maior fraqueza ou defeito. Eles querem impor aos outros uma carga que êles próprios não conseguem carregar.

    ResponderExcluir
  9. Ao ler o texto quase choro, não porque o autor tenha usado de sentimentalismo, mas porque ele acabou de descrever a minha atual situação! Estou sentindo um conflito interno terrivel... Estou preso, essa é a verdade, tenho 21 anos... se sair perdo os unicos amigos que tenho, minha pequena familia não me tratará da mesma forma...e o pior: me sinto um hipocrita quando estou particiapndo de qualquer coisa da congregação, pois não acredito em tudo, mas tenho que fingir para ninguem perceber...de vez em quando dou um dislise e alguem já fica de olho. Peço a YHWH em oração que me ajude... a me libertar dignamente disso.

    ResponderExcluir
  10. Nao sei escrever palavras bonitas ,mas preciso desabafar a minha infancia toda e adolecencia fui catolica conheci os tj aos 19 anos ,até ano passado fis o estudo biblico.mas agora estou tão confusa acretido em Deus e em jesus e na biblia acho que o ensinamento dos tj fas sentido sobre a criaçao,que não a vida após a morte etc etc... ma me cinto muito precionada e andei comparando a biblia deles com outras. e a sim alterações pequenas mas tem sim,e uma vez mal interpretada confude a mente.achei estranho também aquela piramide no tumulo do Charles Russel todas religiões tem uma historinha por traz.
    Tenho muita fé dentro de min mas não sei para onde ir se continuo só com a biblia e Deus no meu coraçao o sigo alguma outra denominação.preciso ouvi pessoas que passam ou já passarão por isso.

    ResponderExcluir
  11. Anonimo, ore a Deus, aceite seu filho Jesus em seu coração e peça que Ele te mostre o caminho da verdade, leia sua escrituras e peça que Ele te ajude a entender qual a Sua vontade pra vc...
    Nao vou te falar qui qual a melhor igreja, eu sei que o primeiro passo é reconhecer a Jesus Cristo como u seu único e suficiente Salvador, que Ele te ajudará... Ore...

    ResponderExcluir
  12. é o cumulo desasociar uma pessoa n~eo existe respaldo biblico para isso...vcs acreditam Q JESUS varia isso com alquem Q tivece uma queta,pedro deveria ser desasociado pois o negoa 3 vezes...jesus disse Q devemos perdoa 77 vezes 7,e não virar a cara e proibir Q até a familia fale com tal pessoa,abrão o olho testemunhas,vcs não são burros....PENSEM!!!!

    ResponderExcluir
  13. é maravilhoso conhecer este blog, especialmente esclarecer assuntos que pairavam em minha mente.
    Continue firme apesar dos insultos.
    Na verdade, não entendo o q uma TJ faz aki, visto q o blog é direcionado a ex TJs.
    Enfim... se servir para abrir-lhe as mentes e os colocarem a pensar como individuos e não como sociedade, verão o quanto a bíblia condena o desamor pregado por eles em relação a pessoas que se desligam da 'sociedade'

    Eu estou livre para pensar, em Nome de Jesus Cristo, agradeço a Deus todos os dias por isso.

    email: gtbapr@hotmail.com

    ResponderExcluir
  14. Como muitos posts daí de cima, me sinto num dilema muito difícil ... Não sei bem qdo começou a nascer dúvidas no meu coração , sei q em 18 anos de batismo( me batizei aos 14) sempre levei tudo no banho- Maria . Nunca fui uma cristã fervorosa, daquelas de fazer planos, almejar alvos espirituais etc. Hj meu marido é desassociado( por questão de consciência ), e as coisas vão se tornando difíceis pra quem tem parente fora. Por tabela eu me minha querida filha de 3 anos somos esquecidas, sumariamente colocadas de lado, sem ser convidadas pra um simples lanche na casa de alguém . Recentemente foi feito um discurso no " necessidades locais" onde foi dito com todas as palavras pra se evitar de pisar na casa de um desassociado, comparando o mesmo com um leão á espreita. ... Fiquei arrasada, pois me senti um lixo! Claro q eu já sabia disso, muitos ao lerem isso pode questionar, afinal já tenho 18 anos de " verdade", mas quando se tem criança pequena, sabendo a daqui a pouco ela não vai poder trazer nenhum irmaozinho pra brincar na própria casa , fica difícil Lidar com isso. A mágoa vai crescendo e a gente passa a questionar, e junto com questionamento vem as duvidas, depois as pesquisas ( junto as pesquisas a culpa por usar um meio tão endemonizado q é a internet né?) e daí cá estou com um monte de novas informações , pessoas q sofrem como eu, uma associação duvidosa, enfim, minha cabeça tá a mil. Meus familiares a estão na verdade nem sonham com essa minha fase! Mas ao mesmo tempo toda aquela esperança maravilhosa vai tudo por água abaixo? O resto da Bíblia É lenda? Não haverá paraíso? Ressurreição ? Nenhuma organização terrestre? Meu Deus, q pesadelo! Ao mesmo tempo q fico feliz de estar " abrindo os olhos" estou ficando triste com tudo pois me sinto abandonada, começando do zero. O q vou ensinar pra minha filha? Ela não vai ser nada? Entendem meus caros leitores? Até agora estou descobrindo as coisas erradas . Mas então pra onde ir? Tem q ter uma verdade! Cadê ela? Vcs q saíram, conseguem tocar sua vida em sentido espiritual? Como vcs fazem? Desculpem pelo desabafo, muitas duvidas e mágoas permeando esse coração . Aguardo alguma respostas de vcs, mil abraços Laís

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!