sábado, 19 de dezembro de 2009

A reunião do Centro de Referência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa – CRDHDR, realizada neste dia 15 de Dezembro, no Auditório Murilo Aguiar da Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, em Fortaleza, tornou-se um espaço para apresentação e ao mesmo tempo divulgação em nível nacional de duas denúncias relativas a intolerância religiosa ocorridas recentemente naquela capital, violações estas representadas primeiramente pelos fatos que atingiram segmentos das Matrizes Africanas, em especial todos os religiosos que tem a Umbanda como religião, bem como os fatos que envolveram todo um grupo de desassociados da confissão evangélica Cristã, Testemunhas de Jeová, situações estas que discorreremos à frente.

A atividade do CRDHDR contou entre os participantes, com as presenças institucionais da Srª Yara Lúcia (Coordenação Municipal de Políticas Públicas para a Igualdade Racial – COPPIR – Prefeitura Municipal de Fortaleza), Dr. Guilherme Fonseca Guimarães (Conselho Estadual de Direitos Humanos), Sr Leno Farias (Associação Afro Brasileira de Cultura Alagba); Sr. Álvaro Bezerra (Rede de Afro Religiosidade e Saúde – Secretaria Estadual de Saúde) e de religiosos e lideranças como as da Organização Brahma Kumaris (Mara Gurjão); Abrawicca Fortaleza (Srª Arian Badb Sophia); Associação das Famílias (José Martins Souza); Alam Arraes Federação Espírita do Estado do Ceará (Sr. Alam Arraes); Grupo de Desassociados das Testemunhas de Jeová (Sr. Sebastião Ramos) , representantes do Candomblé e da Umbanda que se fizeram representar através da Rede de Terreiros, além de entidades como a Federação Internacional para a Paz entre outras, e de representantes de vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza.

Na sequência dos relatos foram apresentados os fatos concernentes às discriminações sofridas pelos desassociados da Igreja Testemunhas de Jeová, através dos depoimentos dos senhores Sebastião Ramos e Pascoal Júnior (Foto: Em pé 1º e 3º Esquerda p/Direita), que em suas falas destacaram: "Como se sentiria se a partir de amanhã seus amigos cortassem relações com você e não mais lhe cumprimentassem, caso te encontrassem na rua, no trabalho ou em qualquer outro lugar? Com certeza faria o possível para evitar essa situação vexatória. O mais grave seria quando parentes diretos, incluso sua mãe, seu pai, irmãos ou filhos limitassem o contato apenas a assuntos domésticos. Pior ainda se você não tivesse feito absolutamente nada que os prejudicassem. Humilhante, não? Pois é essa a situação de uma pessoa quando é desassociada ou pede dissociação da igreja Testemunhas de Jeová."

Esta exclusão ou morte social a que estão sendo submetidos todos os ex membros da igreja, foram denunciadas em diversos artigos (links abaixo) produzidos pelo Sr. Sebastião Ramos e publicados em diversos órgãos, tendo sido ainda objeto de encaminhamento de representação junto ao Ministério Público do Ceará que está tramitando na 10ª Promotoria Civil, buscando com isso tornar evidente uma situação que em matéria de intolerância difere dos casos comuns, pois se revela dentro de um mesmo grupo que exclui e promove o afastamento dos seus ex pares, causando indiscutíveis sofrimentos a todos os que são expostos a esta situação.

Os presente à reunião do Centro de Referência, se manifestaram em apoio a constituição de um Plano Nacional de enfrentamento à Intolerância Religiosa, bem como a instituição de um marco regulatório que pudesse consolidar e aprimorar os instrumentos legais atualmente existentes.

O CRDHDR sugeriu a organização de um Fórum de Direitos Humanos e Diversidade Religiosa a partir das organizações e religiosos presentes, se comprometendo a enviar modelos dos documentos dos fóruns já existentes no país.

O grupo presente solicitou ainda que houvesse o apoio do CRDHDR e da SEDH no sentido de se manifestar junto às instâncias do Ceará em apoio e reforço às denúncias apresentadas.

Texto completo:
http://www.dhdiversidadereligiosa.com.br/noticias/not023.htm
http://extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=16&t=3879


Um comentário:

  1. BOM DIA!SOU LUCIANO RIBEIRO DA CIDADE DE CACULÉ NA BAHIA. A 15 DIAS FUI DESASOCIADO PORQ NÃO PARAEI DE PRESTAR SERVIÇO A OUTRA ENTIDADE RELIGIOSA.
    HOJE NÃO POSSO FALAR COM MINHA ESPOSA E FILHOS E AMIGOS.COMO SE TIVESSE COMETIDO UM CRIME.
    ISSO É UM ABSURDO

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!