sábado, 4 de junho de 2011


Ao ler o texto "Perda do Trabalho, Perda da Identidade" de Eugène Enriquez me deparei com uma lógica empresarial desumana, que surpreendentemente coincidiu com a lógica das Testemunhas de Jeová ao tratar seus adeptos e ex-adeptos. Muitos podem indagar: o que uma Associação religiosa que deveria ter como princípio a solidariedade e o amor, tem em comum com essa racionalização desumanizante?
O texto de Eugène Enriquez cita:
Vou dar o exemplo novamente da Peugeot e da Citroën, que conheço bem, na França. É uma empresa que está funcionando muito bem. Ela passa seu tempo a despedir as pessoas de maneira regular. Isso é psicologização, na medida em que, se alguém não consegue conservar o seu trabalho, fala-se tranqüilamente: "você não soube se adaptar, você não soube fazer esforços necessários, não teve uma alma de vencedor, você não é um herói. Você é culpado e não a organização da empresa ou da sociedade. A culpa é só sua.” ·
Isso culpabiliza as pessoas de modo quase total, pessoas que, além disso, ficam submetidas a um estresse profissional extremamente forte. Então as empresas exigem daqueles que permanecem um devotamento, lealdade e fidelidade, mas ela não dá nada em troca. Ela vai dizer simplesmente: "você tem a chance de continuar, mas talvez você também não permaneça.”.


As Testemunhas de Jeová, são mestres em culpabilizar todos aqueles que não concordam com suas ideias ou que saiam das suas fileiras. Isso é uma tática que pretende sempre demonstrar que a verdade já possui uma dona: elas mesmas. Se existe uma crítica de pessoas de fora da religião, isso é rapidamente transformado em PERSEGUIÇÃO, e aí, isso era algo predito e que as qualifica como a religião certa. Se um ex-adepto mostra os fundamentalismos da religião, automaticamente são acusados de pecadores, raivosos, sem moral e de apóstatas demoníacos, onde mais uma vez se comportam como as donas da verdade.
Quando existe uma exclusão (desassociação) de um membro, muitas vezes, como no exemplo do texto de Eugène Enriquez, a intenção não é somente “proteger” a congregação (empresa) de vícios indevidos, mas de se fazer uma pressão psicológica tanto para os que saem, como para os que ficam.
Para os que saem é destinado o estigma de que são os únicos responsáveis por sua atual situação e que saíram por não conseguiram viver a altura do conceito de “cristão” idealizado pela denominação religiosa em questão. A intenção é humilhar, rebaixar e trazer sentimentos de culpa que tendem a tornar a vida dessas pessoas afastadas, um eterno vazio, onde a desesperança vai fazer com que elas, tentem retornar para a “organização-mãe” e “acolhedora”, ou seja, a ilusão de que somente conseguirão sentido para suas vidas naquele local.
Para os que ficam, o texto de Eugène Enriquez, explica muito bem o que será exigido:
“Então as empresas exigem daqueles que permanecem um devotamento, lealdade e fidelidade, mas ela não dá nada em troca. Ela vai dizer simplesmente: ‘você tem a chance de continuar, mas talvez você também não permaneça”.


5 comentários:

  1. Olá! Parabéns pelo blog. Já estou seguindo. Ferramenta importantíssima no combate às seitas e heresias. Quando puder, dá uma passada em:

    http://www.filosofiacalvinista.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. "A intenção é humilhar, rebaixar e trazer sentimentos de culpa que tendem a tornar a vida dessas pessoas afastadas, um eterno vazio, onde a desesperança vai fazer com que elas, tentem retornar para a “organização-mãe” e “acolhedora”, ou seja, a ilusão de que somente conseguirão sentido para suas vidas naquele local."
    Absolutamente não. Em qualquer lugar que você deseja ser aceito, se faz necessário um mínimo de padrão ou organização. E como seria diferente esse fato em relação ao próprio Deus? Para esclarecer, porquê Deus instituiu a lei mosaica? Ora, para identificar o seu povo! E fez isso para o mal dos israelitas? De forma alguma, isso iria contrariar a personificação de Deus no amor. Ele instituiu essas leis para o bem daquele povo, e atualmente não é diferente. Você sabe muito bem que essa é uma lei bíblica, NÃO UMA INVENÇÃO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ. Entendo o seu sentimento de humilhação, eu ja passei por isso. Mas essa é uma forma de repensar nossos atos e lembrar a nossa natureza humana frágil, para não confiarmos em nós mesmos e sim em Deus. Só quero ressaltar que entendo seus motivos de se sentir assim, por certo pessoais; mas não permita que isso faça de você uma pessoa radical, dê uma nova chance as seus irmãos.
    Estou aqui para defender as Testemunhas de Jeová, pois elas não são uma seita como muitos acham, pois baseiam todos os seus ensinamentos na bíblia, a palavra de Deus. A real intenção das Testemunhas de Jeová é praticar o amor e desenvolvê-lo cada vez mais. Infelizmente por sermos imperfeitos muitos acabam por confundir as coisas, mas esse amor tem sido aprimorado mais e mais e todos os dias recebemos conselhos bíblicos que nos ajudam a aumentar em amor por Deus e por todas as pessoas.

    ResponderExcluir
  3. Olá Sidney. Obrigado por expor seu ponto de vista de forma equilibrada, mesmo eu não concordando. Isso se chama diálogo e só faz com que possamos crescer como pessoas. Minhas considerações são as seguintes:
    1-Toda forma de organizção (religiosa, comercial, política) tem regras internas com punições para quem as quebre. A desassociação é uma regra interna e como tal pode definir o que requer para seus adeptos. Ou seja, um ancião que esteja viciado em drogas não poderia exercer seu cargo e poderia ser "punido" com a perda do mesmo e isso seria até compreensível...PORÉM poderia até haver uma expulsão desse adepto, mas se essa expulsão acarreta uma discriminação direcionada que é não falar mais com essa pessoa já vira crime. Disciplina pode e deve ser feita, PORÉM discriminar a pessoa por não fazer mais parte daquela religião é ferir a dignidade humana.

    2-Nenhuma Testemunha de Jeová será obrigada a falar com ninguém que ela não queira, aliás constitucionalmente eu posso falar com quem quiser e também não falar com quem eu não queira, mas baseado no meu julgamento e nas minhas opiniões próprias. Agora se eu pertenço a um grupo que me orienta a não falar com determinadas pessoas e ainda colocar isso de forma impressa e ameaçando quem falar com tais pessoas de punições...BINGO...isso é crime!
    As Testemunhas de Jeová individualmente decidem se podem falar ou não com desassociados? NÃO!
    São ameaçadas de expulsão caso falem com desassociados? SIM!
    O que se mostra nesse caso? Discriminação orientada!

    ResponderExcluir
  4. ISSO É RIDICULO,CADA UM FALA O QUE QUER,E ACREDITA NO QUER,NINGUÉM É OBRIGADO A NADA,MAS FAZER PARTE D UMA ORGANIZAÇÃO RELIGIOSA,E DEPOIS SAIR E FALAR MAL,NUNCA VI TAMANHA COVARDIA,ISSO SE CHAMA CALÚNIA,FALTA DE CONHECIMENTO,O FATO DE SER DESASSOCIADO APESSOA QUE COMETE UMA FALTA GRAVE É CORRETO,JEOVÁ DISCIPLINA AQUELE QUE ELE AMA,SE NÃO HOUVESSE UMA ORDEM,CADA UM IA FAZER DO SEU JEITO,TEM QUE HAVER UMA DISCIPLINA SIM,AGORA SÓ ACEITA QUEM É HUMILDE E RECONHECE QUE ERROU,ISSO NÃO QUER DIZER QUE VOCÊ NÃO POSSA MAIS FAZER PARTE,APENAS A PESSOA TEM QUE DAR MEIA VOLTA,E SE ARREPENDER DE SEU ERRO,AGORA FAZER ISSO QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO,SE REBELANDO CONTRA A JEOVÁ, ISSO É ERRADO,VOCÊS DEVERIAM PENSAR DIREITO NISSO,A ORGANIZAÇÃO DE JEOVÁ É PERFEITA,IMPERFEITO SÃO AS PESSOAS,E QUEM JULGA É JEOVÁ,SE OS ANCIÃOS DAS CONGRAÇÕES ESTIVEREM ERRANDO NESSE ASPECTO,QUEM VAI CORRIGIR ISSO É DEUS,NÃO OS HOMENS. USE A RAZÃO,O QUE É MAIS IMPORTANTE? AGRADAR A HOMENS OU A JEOVÁ? ISSO TUDO QUE LI A RESPEITO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ NÃO TEM SENTIDO,A PESSOA QUE ESCREVEU ISSO TOMOU SUA POSIÇÃO,SERVIR AO DIABO..É LAMENTÁVEL.

    ResponderExcluir
  5. Olá anônimo que escreveu GRITANDO! Peço que não escreve todo o texto com letras maiúsculas, pois fica um visual agressivo e quebra as regras de etiqueta da NET.
    Bem, só o fato de você afirmar que eu sou amigo do DIABO já mostra quanto de lógica, equilíbrio, pesquisa bem fundamentada e de raciocínio você depositou na sua opinião. rs
    Não preciso nem continuar não é verdade? rs

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!