sexta-feira, 3 de agosto de 2012




Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam (Platão).
Se fizermos uma enquete sobre a popularidade ou mesmo a confiança depositada nos políticos, os resultados seriam desde uma total revolta, desconfiança ou mesmo desinteresse. Porém, a atuação precária dos nossos políticos independe do nosso grau de conscientização e de cidadania, pois quanto mais informados e atuantes formos, menor as chances de sermos enganados e explorados. A cidadania envolve assim a construção de uma sociedade mais justa com a participação de todos, pois com isso observamos o avanço no combate a males sociais tais como corrupção, pedofilia, violência contra mulheres etc. 
E quando uma religião torna seus adeptos “deficientes cívicos”? Por que as Testemunhas de Jeová fabricam “deficientes cívicos”? O que seria um “deficiente cívico”? Em 1989, o grande pensador e geógrafo Milton Santos, alertava sobre o perigo da nossa sociedade entrar no jogo frio e pragmático do individualismo, aonde os princípios básicos como a solidariedade e a cidadania fossem esmagados pelos interesses pessoais e imediatistas. Dessa situação, surgiria o “deficiente cívico”, que seria uma pessoa alheia aos problemas sociais e que nunca participaria de projetos que pudessem ajudar ou colaborar para uma sociedade mais igualitária e ética. 
Existe porém, uma outra fonte que origina “deficientes cívicos” e que não foi percebido na época por Milton Santos: o fundamentalismo religioso. No caso específico das Testemunhas de Jeová, suas doutrinas tendem a moldar seus adeptos para uma falsa “neutralidade política” (se é que existe realmente), onde a aversão à conscientização e a cidadania são estimuladas desde a infância. Senão vejamos: 

Que finalidade têm, por exemplo, as eleições na classe de encarregados ou líderes da turma? Servem realmente para treinar os jovens a participar na maquinaria da política mundana. Será que é para isto que o jovem cristão deseja ser treinado? Será que Jesus Cristo, que disse: “Não faço parte do mundo”, desejaria que seus verdadeiros seguidores se treinassem para participar na política mundana?” (Revista Despertai 08/03/1973)

Os servos de Jeová são felizes por não fazerem parte do mundo, pois todas as nações estão marchando para seu fim no Armagedom (Fim do mundo)... Muito em breve, porém, isso acabará, pois este mundo ímpio governado por Satanás será destruído para sempre. Por outro lado, os que servem a Jeová viverão para sempre em Seu justo novo mundo, governado pelo Reino de Deus. — 2 Pedro 3:10-13; 1 João 2:15-17. (Livro “Adore a Deus” 2002 p. 166 par. 15 “Não fazem parte do mundo”)

Dessa forma observamos nos seus adeptos a perca da sua identidade individual e de sua autonomia. Isso quer dizer que as Testemunhas de Jeová são imbecis e que não pensam ou que não podem ser cidadãos respeitáveis? Obviamente que não! Muitas se destacam por sua honestidade e competência, mas são podadas, como plantas, para seguirem para um determinado lado, ou seja, o modo de pensar de sua religião. Ao definirem uma dependência para com uma organização terrestre (Torre de Vigia) que passa a orientar seu modo de vida e a esperar uma atuação divina (Armagedom ou Fim do mundo) como única alternativa para as resoluções dos problemas sociais, as Testemunhas de Jeová criam em abundância os “deficientes cívicos”.


Categorias:

5 comentários:

  1. Sim, testemunhas da TORRE.. são robozinhos !

    ResponderExcluir
  2. Cambada de cachorros ficar na net falando mal de um povo digno como os tj. Vcs devem ser dominados pelo chifrudo. Se prestassem estavam servindo a deus tbem, mas o diabo deve ter chamado vcs pra fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, você está muito agressivo. Também, acho que não deveria escrever a palavra Deus com letra minúscula, haja vista, que vc está se referindo ao Deus criador. Ademais, vc sabe que tudo que está escrito lá em cima é verdade, me refiro às revistas. Nem sei como lhe dizer, mas acho que vc deveria abrir um pouco mais os olhos. Publiquei como anônimo, pq não quis fazer login no gmail.Não confie cegamente, em nenhuma organização de homens.

      Excluir
    2. Minha Mae é toxicodependente em recuperação, teve 4 filhos todos de pais diferentes, nunca vivi com ela, mas fui sabendo aqui ou ali dela. É "uma serva leal de Jeová" trocamos cartas á coisa de 3 anos e continua a ser TJ já teve recaída meus irmãos foram para instituição e agora á 3 anos q esta limpa... Eu estou confusa como pode uma pessoa acreditar numa forma de estar na vida como esta de TJ, que a meu ver promove a tristeza, a angustia a falta de sonhos o desinteresse pela familia a falta de respeito pelo ser humano. Conheci agora bem esta seita, porque li muito sobre o tema. E estou CHOCADA.

      Excluir
  3. FUI TESTEMUNHA DE JEOVÁ POR 20(VINTE)ANOS. NÃO SEI DIZER AO CERTO COMO ACORDEI. PORÉM, OPTEI POR UMA SAÍDA DIPLOMÁTICA, JÁ HAVIA PERDIDO 20 ANOS, OS QUAIS NINGUÉM ME DEVOLVERÁ, ENTÃO, PARA QUE ESPERNEAR. FUI ME AFASTANDO AOS POUCOS, POIS, TENHO MINHA MÃE, QUE É IDOSA E MUITAS PESSOAS, QUE EU NÃO GOSTARIA QUE DEIXASSEM DE ME CUMPRIMENTAR. COMO DISSE FUI ME AFASTANDO, ATÉ SAIR DE VEZ. ENTÃO MINHA SITUAÇÃO É O DE UMA PESSOA AFASTADA. ACHEI MUITO INTERESSANTE ESTE POST SOBRE DEFICIENTES CÍVICOS, PORQUE, ACHO QUE, INCONSCIENTEMENTE, PASSEI A INTERESSAR-ME MUITO PELO CONHECIMENTO POLÍTICO A NÍVEL NACIONAL E INTERNACIONAL. QUANDO, CRIANÇA FUI ENSINADA A HONRAR A BANDEIRAS E OS SÍMBOLOS NACIONAIS QUE REPRESENTAM A MINHA PÁTRIA, FUI CRIADA NUM TEMPO EM QUE A ESCOLA FORMAVA CIDADÃES PENSANTES, PORÉM, TUDO FOI INTERROMPIDO, QDO ME TORNEI "TESTEMUNHA DE JEOVÁ", PORÉM, ACHO QUE HOJE ESTOU EXTRAVASANDO O QUE PERDI DURANTE 20 ANOS.

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!