terça-feira, 5 de janeiro de 2016


Ao assistir o filme "As Sufragistas" vi uma reação interessante no cinema: todas as mulheres se levantaram batendo palmas no final da sessão. 
Sobre o filme:

No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts (Carey Mulligan), sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. Ela enfrenta grande pressão da polícia e dos familiares para voltar ao lar e se sujeitar à opressão masculina, mas decide que o combate pela igualdade de direitos merece alguns sacrifícios.

Na realidade o filme não se concentra nos ideais feministas, mas na transformação de uma mulher simples, mãe dedicada e explorada por uma sociedade machista numa militante consciente de seus direitos que não eram respeitados. Percebi que por ser homem e viver numa sociedade de mentalidade machista algumas coisas do filme passam imperceptíveis para mim, mas não por insensibilidade ou "descaso" sobre a realidade feminina e sim porque eu nunca "sofri" com certas questões que para as mulheres são recorrentes e bem particulares.
E no mundo cristão, mais especificamente o mundo das Testemunhas de Jeová, o que as mulheres sofrem? Na realidade esse é um texto inicial e provocativo sobre o tema e gostaria muito de receber relatos de mulheres que sofrem desses abusos e excessos em nome da "fé". Lendo um texto de Denise Rangel ela cita e questiona com propriedade esse viés "cristão" machista:


Ao longo dos séculos, as mulheres têm sido alvo de injustiças, violência e opressão e muitas igrejas são responsáveis por tal situação, seja por participação direta ou por omissão, diante do tratamento desumano e cruel dado a tantas mulheres no mundo...É muito conveniente “pregar” que as posições de liderança e comando pertencem ao homem, e que o nosso “desejo é para o nosso marido e que ele nos dominará”, sem observar a tirania que se esconde por trás de indivíduos que se usam da tradição cristã para oprimir e violentar sua companheira.

Fica aqui a provocação para a reflexão e para as denúncias.

Fontes das citações:



Categorias:

33 comentários:

  1. Vi o trailer ...muito interessante! Acredito q se eu tivesse nascido na época e país seria uma delas.
    Edem Lima

    ResponderExcluir
  2. La mujer siempre fue y sigue siendo relegada en las religiones , pero en la secta de los testigos lamentablemente no existe con el cuento de que el hombre es cabeza de familia. Esas son las directivas del cuerpo repugnante corrupto , mafioso y criminal entre tantas otras cosas .
    Cristina Loreley

    ResponderExcluir
  3. De fato conheço bem as Testemunhas de Jeová, pois já estive entre eles durante muito tempo como estudante, e posso afirmar com convicção se tratar de uma seita herética repleta de doutrinas nocivas e prejudiciais ao ser humano! Tanto que muitos saem de lá perturbados e perdidos, voltando-se para o ateísmo ou mesmo para o suicídio! Quanto a postura desta seita com relação as mulheres, não pode servir como exemplo cristão em nenhum aspecto! As mulheres ali são proibidas de fazerem discursos no mesmo molde dos discursos feitos pelos homens, além de não haver anciãs entre eles! A submissão ao marido, da qual a bíblia fala, nada têm a ver com o cerceamento de direitos das mulheres na sociedade, e sim, apenas como respeito a figura do homem, chamado por Cristo como o 'cabeça' nessa relação! Direitos iguais entre os sexos é algo mais do que necessário num relacionamento cristão!
    Sandro Oliveira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou pouco e disse tudo. Eles também são meio nazista kkkkk

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Conheço muitas mulheres tjs que tinham relacionamentos abusivos e não podiam se separar pois ia contra os ensinamentos uma para não morrer teve que fugir e depois de algum tempo foi desassociada outra que sofria com o marido alcoólatra pediu divórcio e depois pra não ser desassociada pediu a anulação do divórcio daí foi acusada de adultério por estar com o marido da qual tinha pedido separação, outra vive até hoje na mesma casa que o marido mas como irmão não tem mais vida sexual ela sofreu muito com ele mas os anciãos desaconselharam separação e depois de alguns anos também foi desassociada por causa da situação de viverem juntos na mesma casa sem serem de fato marido e esposa só de aparências.O que tenho visto é que sendo TJ uma mulher é obrigada a aguentar um relacionamento de maus tratos tanto psicológico quanto físico. Somos ensinadas que somos inferiores aos homens vaso mais fraco e que o homem é o cabeça mesmo muitas vezes ele não tendo capacidade para isso, alguns são cruéis mas mesmo assim se ela pertence a TJ tem que se sujeitar. Quanto as outras religiões não sei falar mas nesta é assim.

    ResponderExcluir
  6. não entendo a razão de seis comentários três serem anónimos. Então mulheres, há lei que protege as vítimas de violência doméstica ou são seguidoras de alguma religião machista e têm medo das represálias.Também estive nas TJ´s desde muito criança e depois de 16 anos de escravatura religiosa e paternal, nunca tive medo de dizer o que penso, doa a quem doer. As mulheres só foram consideradas inferiores porque os homens assim o instituiram, graças às corajosas e lutadoras hoje estamos aqui a expressar-nos como qualquer cidadão com direito a opinião seja de que assunto fôr.
    A religião continua a escravizar, mas as pessoas parecem que gostam de o ser ou têm necessidade de se sentirem dominadas pelo "bicho" homem. Talvez pensem que, homem que não é o chefe da família ou o principal elemento do casal, não é homem!!!!! Infelizmente ainda há mulheres que gostam de dizer "se o meu marido sabe disto mata-me".
    As religiões e a bíblia promovem o machismo. E infelizmente ainda há homens que acham que violentar a mulher fisica ou
    psicológicamente é marcar a sua posição de macho dominante. Não sou feminista, sou uma mulher que viveu no tempo em que os homens é que decidiam tudo, ganhavam o dinheiro para manter a familia e exigiam que lhe prestassem honras, nem que para isso humilhassem as mulheres ao n+ivel dos animais. OBRIGADO A TODAS AQUELAS que lutaram e se impuseram no mundo de homens, POR ELAS devemos continuar esta luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se as religiões são machistas ou não, na igreja que eu frequento as mulheres são as mais livres do mundo.Quando Deus criou Eva fê-lo a partir de uma costela, portanto do lado, não de baixo nem de cima, a mulher foi feita para estar ao lado do homem, não por cima nem por baixo; homem e mulher são para Deus iguais, com os mesmos direitos e os mesmos deveres, no entanto com funções diferentes, a função da mulher não é igual à do homem, nem a função do homem igual à da mulher: quanto à Bíblia ensinar o machismo, isso é completamente falso. Na Bíblia aprendemos que Deus é amor e quem não ama não conhece a Deus; Deus criou o homem livre, concedeu-lhe livre arbítreo, e como tal não interfere na vontade do homem, tornou-o responsável pelos seus actos, dos quais um dia terá de prestar conta. Lamento ter que dizer, mas daquilo que eu conheço da Bíblia e também das doutrinas das Testemunhas, penso que Deus não se encontra aí, embora hajam muitas Testemunhas honestas e sinceras, no entanto a sinceridade não é suficiente para a salvação, porque a pessoa pode estar sinceramente enganada sem o saber.Deus não quer que ninguém se perca mas que todos venham ao conhecimento da verdade e se salvem, logo quer dizer que sem conhecimento não há salvação, e esse conhecimento consegue-se lendo a Bíblia sem o óculo do corpo governante, sem se deixar manipular. Bjns.

      Excluir
  7. Por isso que a maioria delas nem trabalham ou estudam, pq faz parte do processo de submissão tbm ser dependente financeiro.
    Lizandra

    ResponderExcluir
  8. É conveniente para os homens.
    Vera Lúcia

    ResponderExcluir
  9. Na realidade o cristianismo usurpou os idéias e a deidade judaica. Lembrando que a deidade cristã /judaica / mulçumana a mulher não vai ao paraíso. A mulher é apenas para procriar filhos homes herdeiros do Paraíso, e meninas para cumprir o destino das mulheres, ou seja para continuarem a procriar herdeiros ao paraíso. Inexiste na bíblia Deusa, anja, arcanja e/ou querubins. No Paraíso só tem cuecas. Francamente ainda não sei pq as mulheres aceitam a humilhação de ser cristã.
    Inácio Santos.

    ResponderExcluir
  10. Meus pais são TJ, e meu pai sempre fez questão de esfregar na cara tanto minha quanto da minha mãe (principalmente), a Bíblia, principalmente no que diz respeito a que mulheres devem se submeter ao homem, ou seja, abaixar a cabeça e fazer td o que mandam. Minha mãe já reclamou dele p/ os anciãos, pois meu pai não leva a sério o casamento no que diz respeito a fidelidade e agressão psicológica. Pergunta se algum deles disse a minha mãe: "Fulana, separe-se dele e vá ser feliz, pois vc tem esse direito!"? Não, o que esses incompetentes fazem é ler um textinho, dar um puxão de orelha no homem e pedir pra que se reconciliem, e vamos seguir a vida! Como ela não tem nada pra provar um envolvimento profundo de infidelidade do marido, nada pode fazer. Ele é santo, agora da minha mãe, já tentaram várias vezes caçar 'pecados' dela, pra desassociarem-na. Essa é a justa e amorosa organização cristã!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tjs não são cristãos. Procure se informar melhor.

      Excluir
    2. Não, acho que vc não entendeu que quando digo amor cristão por parte deles, estou repetindo, de forma irônica, apenas a lavagem cerebral que eles costumam empurrar. Vc eh quem deveria se informar melhor.

      Excluir
  11. Qualquer religião que cerceie a liberdade...não religião e sim cativeiro

    ResponderExcluir
  12. Eu conheço um caso aonde a esposas no início do casamento trabalhavam, porém com o tempo ela acabou se tornado pioneiras regular. Podemos imagina muitas explicações, mas sinceramente sei não qual é a certa e não eu quero julga esse casal, principalmente porque os considero como pessoas sinceras que sempre querem fazer o melhor para os outros.

    Mas concordo com você quando cita a existência de irmãos machistas em algumas congregações.
    SalomãoHistoriador

    ResponderExcluir
  13. É interessante que Jesus sempre magnificou as mulheres. Primeiro aparecimento após sua morte foi para uma mulher, junto ao poço demonstrou extremo respeito e consideração pela samaritana, daí vem o xarope do Paulo, "que as mulheres aprendam em silêncio", é pá acaba mesmo.
    Na prática, o conceito de Jesus deveria prevalecer, mas penso que o lado machista do CG preferiu ficar com Paulo. Existem temas e assuntos que abordados por mulheres, teriam um toque mais sutil de leveza principalmente numa comissão sobre pedofilia, estupro e etc...
    Penso que as mulheres deveriam sim compor a parte de ensino.
    Marcelo Navarro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse CG está conduzindo muita gente honesta para fora da eterndade; há caminhos que ao homem parecem direitos, mas o fim deles é a perdição. Confiar a salvação da nossa "alma" a um grupelho de drigentes, é um risco muito grande, eu não o faria.

      Excluir
  14. A questão de TRABALHO dentro da organização é confundida com materialismo. Logo, se faz hora extra, é materialista. Se busca colocação melhor no mercado de trabalho, é materialista.
    Essa 'perseguição' ou 'taxação' ocorre com todos os membros da seita, não apenas com as mulheres, mas claro, as mulheres são 'orientadas' a pregar, serem esposas e pioneiras - apoiar aos maridos e ficarem caladas.
    Sim, ha uma castração em tudo o que envolva crescimento pessoal dentro da organização.
    Kooboo

    ResponderExcluir
  15. Já que existe mulher entre os ungidos, deveria ter também no C.G.

    Um dos maiores "privilégios" que uma irmã pode ter é ser pioneira e ter que pregar de sol a sol (com risco de contrair até lúpus). Proferir um discurso na tribuna, jamais!
    Pastinha

    ResponderExcluir
  16. O cristianismo traz uma posição bem privilegiada para o contexto histórico em que foi engendrado; aliás, como seu foco era os marginalizados da sociedade ele prega uma mensagem bem reconfortante (sempre contextualizando-o historicamente) e "progressista" em relação ao mundo romano e judeu dos primeiros séculos. Até a Bíblia Hebraica, com seus excessos, também pinta muito elogiosamente várias mulheres (Rute, Sara que discordou do Patriarca, Jael etc). Mas como diz o grande doutor em história social da USP Rafael Ruiz nós vamos ao documento com nosso "óculos" e procurando respostas já dadas; aí do documento se não corroborar minhas teses. A Bíblia sempre será vista de um ângulo negativo por quem QUER vê-la assim e sempre será digna de um panegírico para quem QUER fazê-lo.
    Brother Franz

    ResponderExcluir
  17. Este é um excelente tópico, Pascoal! Em nome de todas as mulheres deste forum, agradeço a sua empatia!
    Mês passado assistindo ao canal HISTORY (às vezes é interessante, às vezes muito chato, neste caso foi bem interessante), alguns arqueólogos estavam dando uma série de entrevistas, falando sobre a Bíblia. Eles falaram algo que realmente me chamou atenção, que me fez raciocinar e me perguntar: como eu não havia pensado nisso antes? Eles disseram que além das guerras territoriais que não tem fim no oriente, também o preconceito contra mulheres são por causa da Bíblia.
    Pois é, com relação a este último, tudo começa no Éden quando Jeová amaldiçoa Eva a sentir desejo ardente pelo marido, como se as dores de parto já não fosse uma maldição suficientemente penosa. Tem também aquela história revoltante de Tamar que é violentada pelo meio irmão e condenada a ficar em isolamento total pelo resto da vida. Além disso, de acordo com a lei mosaica, a mulher que ao ser estuprada, não gritasse, teria que ser apedrejada. Temos também o relato de Ló que ofereceu suas próprias filhas como se fossem lixo, aos habitantes de sodona e gomorra para que eles a violentassem no lugar dos seus visitantes angélicos. Jesus, apesar de muito bondoso com as mulheres, é também muitas vezes seco e grosseiro com a própria mãe. "...que tenho eu que ver contigo mulher?..." Ele diz na ocasião da festa de casamento. Em outra ocasião ele disse a ela: "...pára de agarrar-te a mim...". Daí no primeiro século temos, como disse nosso amigo Marcelo Navarro, o xarope do Paulo (rsrs) , com suas terríveis observações machistas! Chamando mulher de fofoqueira desocupada, dizendo que ordena que elas fiquem caladas na congregação e que o homem é o cabeça da mulher.
    Pois bem, baseado nisso tudo, o CG achou que seria uma boa ideia deixar bem claro que nosso apito é mudo (uma espécie de mutilação espiritual). Nós não podemos orar em voz alta na frente de um homem, não podemos fazer uma leitura pública (ainda que leiamos bem melhor que muitos homens na congregação), nem proferir uma palestra pública. Mas o mais rídiculo mesmo, que chega ao ponto de ser humilhante, é termos que cobrir a cabeça quando estamos dirigindo um estudo diante de um homem batizado (imagine o que passa na cabeça da estudante diante dessa cena patética!), também se dirigirmos a saída de campo, em respeito aos anjos, que por sinal, nem tem sexo (pelo menos é o que dizem). Faz tempo que não me sujeito a isso de cobrir a cabeça! E jamais voltarei a fazer!
    Se todos na congregação tem que engolir seco as decisões dos anciãos, as mulheres ainda mais. Jamais, nunca podemos questionar, pois seríamos vistas como rebeldes.
    E o pior é que no nosso íntimo, de tanto praticarmos isso, acabamos vendo os homens como superiores, não nos permitimos nos sentir tão capazes quanto eles! É uma ditadura machista disfarçada de teocracia. E nós nos subjugamos a ela.
    Mas é como disse acima o nosso amigo Brother Franz: “A Bíblia sempre será vista de um ângulo negativo por quem QUER vê-la assim e sempre será digna de um panegírico para quem QUER fazê-lo.” A Bíblia tem esse poder, de caber em várias interpretações. O CG se aproveita desse fenômeno para dar o seu toque particular em tudo, inclusive no que diz respeito a como as mulheres devem se comportar. E contra isso, nós mulheres que continuamos na torre, temos pouca ou nenhuma defesa.
    Scarlet Ohara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scarlet, uma das piores coisas que vi, ridículo mesmo, foi que em refeitório dos beteis JAMAIS uma mulher pode se sentar numa das pontas da cabeceira da mesa. Como se isso representasse humilhação para o homem.

      Participei da construção do SA Itajaí e tinha alguns membros de betel acompanhando. Um deles entrou no refeitório dando instruções ao responsável, que era homem, claro, que ele observe-se muito, mas muito bem mesmo, se alguma irmã TENTA-SE sentar na cabeceira de uma mesa, e que isto não deveria acontecer NEM NA PREPARAÇÃO de alimentos.
      Gerom

      Excluir
    2. Minha querida vocês participam de um regime militar nazista, muçulmano ou sei lá o que???? Minha cara você acha que algo que nasceu da piramidologia, do ocultismo e simpatizante da maçonaria... Poderia ser diferente... A seita das TJ seu passado é um completo FIASCO e por isso seu presente não fica muito longe também. Pesquise o passado da seita com publicações recheadas de símbolos PAGÃOS E ESFREGUE NA CARA DE SEUS ANÇIOES...

      Excluir
  18. A Bíblia é um construto histórico; assim como o Marxismo (extremamente machista e homofóbico) e qualquer outra coisa nessa Terra. Mas pela historiografia, a mulher certamente tinha um papel mais importante no cristianismo primitivo do que na contemporaneidade. Em Romanos 16:1 Paulo saúda uma diaconisa ("servo ministerial"), o que deixa claro que apesar do seu forte farisaísmo a falta de uma centralidade no cristianismo permitia mulheres chegarem a cargos. O próprio Jesus vive rodeado de mulheres e acredito que não escolheu nenhuma como apóstolo por pragmatismo (certamente, naquele mundo, um homem teria mais força física para suportar a intensa oposição à nova ideia então em divulgação) e sua ressurreição é permeada de mulheres. Maria, pouco estimada pela Torre, é retratada em Lucas em um tom magnífico (José é jogado de escanteio em todos os evangelhos canônicos e apócrifos). João capítulo 4 é um discurso contra o machismo dos apóstolos e isso em pleno mundo judeu do primeiro século! E mesmo Paulo, quando em Efésios capítulo 5 coloca a mulher na semelhança da Igreja e obriga o homem a ama-la está indo muito, mas muito além de qualquer visão positiva sobre a mulher no mundo mediterrâneo do primeiro e segundo século. Lembremo-nos que no geral, na religio romana, ou na adoração de Mitra, a mulher sacerdotisa servia de objeto sexual para os homens adoradores. O Cristianismo, como objeto histórico, vai mundo além e é bem superior na promoção dos menos favorecidos. Séculos depois apareceu uma outra ideia tentando promover os menos favorecidos (marxismo) e em plena Revolução Cubana o tal libertário (assassino) Ernesto Che Guevara, embebido desse ideal, promoveu a mortandade de muitos homossexuais e mulheres (todo partido comunista foi e é machista - veja Mulher, Estado e Revolução da historiadora norte-americana Wendy Goldman sobre a supressão feminina na Revolução Russa e nos meios de esquerda.
    Brother Franz

    ResponderExcluir
  19. Confesso, que essa questão de postura de Jesus versus postura de Paulo nunca tinha me subido a reflexão.......mas, me levou a lembrar alguns pontos.

    Bom, não é segredo para as foristas mulheres e as visitantes T.J. que nós não temos permissão para o "Ensino" na congregação. No entanto, vc se torna casadoira se for uma bela jovem P.R.

    Sim irmã, vc não pode ensinar na frente dos homens batizados, mas pode ensinar.....e é incentivada a isso a exaustão no campo e estudos bíblicos.....para trazer mais adeptos.

    Na nova reunião Vida e Ministério (ao menos na primeira) a redução da participação feminina na tribuna do S.R. parece ser uma constante sutil. Claro, vc fará demonstrações de PREGAR.

    Não opinamos, qualquer atitude diferente nos faz ser mal vistas com mais facilidade do que qualquer homem......e nossos privilégios se limitam a parte mecânica e hospitalidade com viajantes.

    Não temos a MENOR, ÍNFIMA, MISERÁVEL possibilidade de opinar sobre definitivamente NADA lá dentro.

    E muitas (falo isso com dor no coração dos desabafos que já ouvi) não são donas nem de suas vidas sexuais.......São reprimidas, tolhidas, rotuladas. Muitas ao se envolverem em conduta sexual passível de desassociacao se vem frente a dois homens estranhos para contar-lhe os detalhes de suas ações íntimas....sozinhas! Quem são eles para julgar??? Pra mim, é só combustível pra fantasias na cabeça deles vcs relatarem isso, meninas! Acho que o fato de uma mulher confessar algo já é demais. ....dar riqueza de detalhe é o fim!

    Não temos direito a nada! E se nossos filhos pecam e são dessassociados temos que apoiar o maridinho que pra preservar o carguinho de ancião põe o filho que vc aninhou nos braços pra fora de casa!
    Me poupe!!!!!! Vamos acordar, mulheres T.J.!!!!

    Não sou feminista. Sou a favor do ser humano. Conheço homens incríveis e mulheres maravilhosas que são condenados a ter suas identidades tolhidas lá dentro. Pessoas, criativas, inteligentes, lindas.....qdo encontro gente assim no meu caminho chega a me doer o peito de tristeza.

    Acredito no humano. .....nas idéias e na vida.......acredito na troca e que cada pessoa pode enriquecer seu semelhante. Mas, silenciar a mulher! Nunca concordei.
    Malévola TJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não pertenço a nenhuma religião ou seita... MAS ESTOU BOQUIABERTO EM LER OS COMENTÁRIOS DAS MULHERES TJ. Não é possível que em século XXI eu esteja os lendo... Na realidade as religiões ESCRAVISAM VOCÊS E O MAIS INCRÍVEL É QUE VOCÊS NÃO SABEM QUE A ESCRAVIDÃO JÁ FOI ABOLIDA.. Rsss

      Excluir
  20. Respondendo " quando" e "como" a mulher tem vez nesta organização machista, pelo que vi pelo SR que já passei e pertencia é assim:
    Você pega aquela irmã jovem, bela, alta, tímida, recém batizada, dá uma designação para ela na antiga EMT. E eu como uma das construtoras dela estou preocupada com o que ela está sentindo e estou ali com o único objetivo de dar coragem a ela, pois sei que ela tem uma excelente oratória naturalmente, quer dizer , já é nato nela. Mas o que preocupava o Presidente da Escola??? Era colocar um casaco nela!!!!! Acreditem!!! Em pleno mês de Fevereiro, num SR com ventilação péssima, ventiladores posicionados nas alturas, ventilando os mosquitos e as teias de aranha do teto! E tudo isso por quê? Porque a mocinha não tinha mangas no vestido que trajava e seus braços de fora, os ombros cobertos, vestido simples e recatado, mas.....
    Precisam ver como ela se sentiu, quando no final da reunião, apesar de sua parte ter ficado excelente, o que ficou destacado nos conselhos era "cadê o casaco"?!
    Depois o PRES da EMT estava " bolando" um "arranjo" para que as irmãs doassem casacos ou blazers que não usavam mais para deixar em definitivo no SR para que nestas ocasiões, claro que deveriam ser "excepcionais", as irmãs tivessem esse recurso para cobrir seu equívoco do modelito. Pensei comigo: " pode ser uma burca"?!
    Com este relato, pergunto e pondero: Que reconhecimento as mulheres podem ter, se o único olhar sobre elas é de um simples objeto sexual, sedutor e digno de uma repressão sexual hipócrita?! O que esperar desta organização quanto as mulheres? Para mim neste assunto e por vários outros modos que eles tratam as mulheres que não citei, eles estão na estaca ZERO!][ZERO].
    RAPUNZEL ENROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso é a mais pura verdade, perdi a conta de quantas vezes irmãs foram as pressas atrás de um casaquinho ou na casa de alguma irmã mais próxima pegar uma roupa com nem que fosse 1cm sequer de manga pra não subir pra fazer parte com os ombros de fora. Nas congregações e grupos de Libras as mulheres que não levam lenço ou não vão de blusa de manga também não podem sequer interpretar pra um surdo...e dirigir a Sentinela? NEM DE BURCA! Se por acaso tiver um irmão que seja no salão, mesmo que não saiba bulhufas de libras, os surdos presentes ficam sem o estudo da Sentinela, mas a irmã de forma alguma pode dirigi-lo.

      Sou homem e acho isso de uma humilhação gigantesca! Quem se casar com um ancião passa logo a ser rotulada como a piadinha da ''ansiosa''... é ter que estar disposta a se submeter ao cabresto que o homem colocar sobre ela, qualquer uma com um espirito mais "independente" é vista com maus olhos ou como aquela que vai morrer solteira (como se todas passassem a vida inteira se planejando para um casamento ideal com um irmão mais coxinha possível). Conheço irmãs que estavam noivas, mas logo foram "dispensadas" por, segundo os caras, não serem mulheres submissas o suficiente, são realmente tratas como um objeto nas mãos desses homens... e muitas que quando se casam e passam a abaixar a cabeça pra tudo que o marido diz são exibidas como troféu e exemplo pra toda congregação, aquela que largou o emprego, virou pioneira e agora vive com o que o marido lhe sustenta. Conheço anciãos que não deixam a mulher sequer aprender a dirigir pra não perder a chefia da casa (!!!) e também irmãs que você percebe nitidamente na cara dela que está presa em um casamento infeliz e que seus maridos vão frequentemente reclamar com os anciãos que a mesma não está dando conta do recado na cama ou deixando a desejar não suprindo as ~~necessidades~~ do esposo.

      Tento me colocar no lugar dessas mulheres e vejo que ainda hoje é difícil ser mulher na sociedade que vivemos no geral, quanto mais ser uma mulher E testemunha de Jeová... uma TJ feminista é capaz de dar até desassociação ou perca de privilégios
      Benji

      Excluir
  21. Pois é caro Pascoal Naib, porém não é só nas Testemunhas de Jeová é praticamente em todas as religiões, principalmente as de base patriarcal - cristianismo, islamismo e judaísmo - Infelizmente é essa a realidade e isso é culturalmente transposto para as sociedades sendo que até hoje vigoram muitos costumes de ordem patriarcal. Coisas como as mulheres ganharem menos do que um homem mesmo que tenham o mesmo cargo e função, isto porque já contam que ela falte mais vezes por causa dos filhos. Numa sociedade equilibrada, o homem tb iria com os filhos às consultas, tb iria buscar suas notas, etc. Cm assim não é, as mulheres são penalizadas!!! Obrigada pela sua contribuição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi tantos comentários de TJ na página de ex TJ..VOCÊS PODERIAM TAMBÉM POSTAR COMENTÁRIOS ANÔNIMO NO SITE DA STV.. Já é um começo pra TJ mulheres que catam as MIGALHAS DOS HOMENS QUE CAEEM AO CHÃO..

      Excluir
  22. Quando me separei,os anciãos "preocupados" com a minha reputação e meu futuro dentro da seita, pois, segundo eles, ainda era "bela e jovem", e que portanto, poderia cometer "fornicação", e com isso tentaram me arranjar um casamento com a indicação de um irmão, pobre e sem instrução/escolaridade, nada contra os pobres, porém, naquele momento percebi que a mulher é um NADA - ZERO A ESQUERDA dentro da organização das testemunhas de Jeová, um marido por pior que seja (e estou falando do fato desse irmão ser semianalfabeto e sem qualquer perspectiva no mundão), é necessário, VITAL, para que ela tenha o respeito daquelas pessoas. Minha resposta foi NÃO! Podia não ter percebido as incoerências todas da Torre, mas, dizer o que eu tenho que fazer, como fazer, isso não! Foi o que me fez assinar a minha carta de saída: Preservar quem eu sou. Josita Souza

    ResponderExcluir
  23. Incrível como satanás põe vendas nos olhos das pessoas,

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!