segunda-feira, 30 de março de 2009

Em certos países, a pena de morte foi adotada com a finalidade de proporcionar a equidade de justiça, mas, devido o homem não ser infalível, seus julgamentos ficam a mercê de erros muitas vezes irreversíveis. O Eterno Deus e Excelso Criador é o único que pode julgar de modo imparcial por conhecer bem de perto o nosso íntimo e as nossas motivações. Na Idade Média, mais precisamente até meados do ano de 1.500 (Século XV) a Igreja Romana perseguiu, torturou e matou judeus, mulheres, jovens e crianças, ora através dos tribunais de excessão da Santa Inquisição, ora através dos Templários, seu Exército Sagrado, matando quem discordasse de seus ensinamentos, de seus dogmas. Nem as autoridades que detinham o poder político e governamental escapavam da punição “divina”, e eram excomungadas porque não se podia jogá-las na fogueira inquisitória. Nestes últimos dias, a palavra excomunhão, que se encontrava adormecida, voltou ao palco da grande mídia pela notícia da menina de 9 anos que foi estuprada e engravidada pelo padrasto. Os médicos que realizaram o aborto na criança detectaram clinicamente que ela não podia ter seus filhos gêmeos por correr sérios riscos de morte, e, para salvá-la, decidiram pelo ato abortivo. Contudo, a Igreja não contou pipoca, reagiu retaliando por excomungar a humilde mãe da menina, de baixa classe social, e ainda os médicos e paramédicos, fato este que levou a maioria da população brasileira a protestar contra o padre/arcebispo que os excomungou.
Como vivemos na era da informação, as pessoas estão estarrecidas com o ressurgimento da tal EXCOMUNHÃO na Igreja Católica. Porém, não é de se admirar existir tal “castigo”, uma OUTRA, de novo tipo, aprimorada com o apelido de desassociação na Organização das Testemunhas de Jeová, e esta é muito mais cruel, para quem é desassociado. Como se dá esse processo?
Através de comissão judicativa formada por integrantes de um “Corpo de Anciãos”, uma espécie de tribunal jurídico, mas de caráter religioso, que dá o veredicto para expulsar o errante. Alguns anciãos que faziam parte deste tribunal se dissociaram por considerá-lo inaceitável perante o Deus Todo-Poderoso, Jeová. Quando um irmão é desassociado ou pede dissociação, passa a ser evitado por toda a irmandade e visto como uma pessoa iníqua, e pasmem: todos os seus amigos que cultivou durante 10, 20, 30 ou mais anos, ficam terminantemente proibidos de dirigir-lhe a palavra. Os excessos não param por aí, pois chegam ao cúmulo de restringir as conversas ou qualquer tipo de comunicação, mesmo que seja entre entes queridos, familiares, incluindo pai, mãe e filhos. Bizarro é que aqueles anciãos são os que mais incentivam do púlpito a se praticar a lei do Cristo: “amar ao próximo como a si mesmo e a perdoar os seus inimigos”. (Lucas 10: 27) Todos sabemos que a maior das torturas que um ser humano pode sofrer não é a física, mas sim a psicológica. Veja, por exemplo, o que disse a psicóloga Scheylla Riedmiller da UFC – Universidade Federal do Ceará: “Eu imaginava que a excomunhão havia acabado junto com a inquisição, qual foi a minha surpresa ao ver que ela continua de forma piorada, em todos os seus aspectos. Para meu espanto numa religião que a admirava - a das Testemunhas de Jeová. A devastação emocional causada nestas pessoas pode levá-las a um estado de desespero mental, e acarretar danos psicológicos, imprescindíveis”.
Já os associados, podem enfrentar uma comissão judicativa também, caso persistam em manter contato com desassociados. Quando o filho pródigo decidiu ir embora da casa de seu pai, para viver num país distante, solicitou a sua herança e a esbanjou nos entretenimentos permissivos do mundo. Quando surgiu uma fome naquela região, ele começou a passar fome por não ter dinheiro para comprar alimentos, então caiu em si e retornou à casa de seu pai. Quando vinha chegando às proximidades, ao avistá-lo, seu pai correu ao seu encontro e, amorosamente, lhe abraçou e beijou readmitindo instantaneamente o seu filho querido. Esta parábola se discerne em sentido espiritual. O pai representa Deus, e o filho, um desassociado. Uma pergunta: Você iria a uma casa se as pessoas não falassem com você, vez após vez?
Pois saibam que é assim a recepção para um desassociado quando chega ao Salão do Reino das Testemunhas de Jeová. Ninguém olha pra ele e quando olha é com desprezo e desconfiança. Nem mesmo o cumprimentam. Para que ele venha a ser readmitido, terá que passar muito tempo ou anos assistindo as reuniões. Poderíamos refletir: Se Cristo estivesse no Salão do Reino e presenciasse um cenário como este, será que permaneceria calado, ou chamaria a atenção dos anciãos? Que os leitores reflitam (a parábola do filho pródigo, em sua íntegra, está no livro de Lucas: 5: 11-32). A Bíblia nos proporciona leis específicas para a disciplina, no entanto, é preciso ter cuidado para não abusar da autoridade quando o sentimento alheio está em jogo. A Igreja Católica, por se achar PORTADORA da infalibilidade papal, seus dirigentes se embruteceram e praticaram toda sorte de truculência contra pessoas indefesas, ficando na história como uma alerta para TODAS as religiões. O presidente dos EUA, Barack Obama, está prestes a criar uma pasta em seu governo para lidar com as religiões organizadas, pelos sérios riscos de sectarismo e de intolerância. Discursando para uma platéia, veja o que ele falou: “A política depende de nossas habilidades de persuadir uns aos outros de objetivos comuns com base em sua realidade comum. Em algum nível fundamental, a religião não permite negociar, é a arte do impossível. Se Deus falou, então se espera que os seguidores vivam de acordo com os editos de Deus, a despeito das conseqüências. Agora, basear a vida de uma pessoa em compromissos tão inegociáveis pode ser sublime, mas basear nossas decisões políticas em tais compromissos seria algo perigoso”. A problemática de se propor algo na religião é porque cada uma acredita na sua interpretação particular do que lê na Bíblia, e muitas vezes textos mal aplicados tem levado a muitos equívocos e a julgamentos injustos. Os tempos são outros. Se no passado não se podia questionar o dogmatismo religioso, agora os próprios governos estão ficando mais intrépidos para questionarem. Portanto, perante a discriminação que os desassociados estão enfrentando, reivindico a comissão de Direitos da Pessoa Humana da ONU, a propor um ordenamento jurídico para que seja devolvida a dignidade e o tratamento condigno a essas pessoas que foram desassociadas da organização das testemunhas de Jeová; não para cecear direitos religiosos, mas para amenizar a dor emocional que sentem, até porque não se tem notícias de tantos excessos serem praticados em outras religiões. Conclusivamente, eu afirmo que, se os governantes conseguirem demolir estas coisas entrincheiradas, seria um grande alívio para aqueles que sofrem desnecessariamente, e, sobretudo, uma HONRA para o próprio Deus, que é o Único que tem a autoridade máxima, e sabe julgar com justiça.


7 comentários:

  1. sebastião ramos; sua materia é de grande proveito,pois muitas pessoas q não sabiam disso sobre as (testemunhas de jeová) ficará de mente aberta. sobre a desassociaçao eu so tenho á dizer que é uma forma de tortura sobre as pessoas,eu to muito feliz, de saber que tem uma pessoa com coragem pra falar realmente sobre o assunto. pode ter certesa de que estou ao seu lado! parabens

    ResponderExcluir
  2. amigo sebastião, essa materia é espetacular, pois, isso vai abrir a mente de muitas pessoas, e enquanto voce tiver publicando essas materias, pode ter certesa que eu sempre estarei pronto para lhe ajudar em expandir, e tem muita gente que precisa saber verdade, voce é um homem de grande coragem, tem muita gente que tem esse mesmo pensamento mais não tem á coragem de chegar e falar, eu sou mais um aliado seu, parabens e que voce tenha grande sucesso!! de seu amigo flaviano

    ResponderExcluir
  3. João Lúcio Lopes de Arruda13 de abril de 2009 20:03

    Fantástio o artigo Quem tem autoridade para excomungar!

    O que as Testemunhas de Jeová fazem com os dissociados e aqueles que são desassociados, não deveríamos fazer nem com um animal. Onde está o tão falado amor cirstão que elas tanto pregam de porta em porta. Elas deveriam, sim, ter vergonha de sair e falar com pessoas desconhecidas sobre Jeová e maltratarem aqueles que foram seus irmãos! O sofrimento e a dor mental que causam nos que se afastaram é terrível, deveriam sim ser responsabilizadas pelo que fazem com os que deixaram a organização.

    ResponderExcluir
  4. Nao sou enem sei se uma dia serei uma testemunha, mais ja fui menbro de uma das igrejas existente no pais efiquei espantado como o evangelho esta sendo pregado de cabeça pra baixo, textos sendo lido totalmente ao pe da letra portanto devo aqui enaltecer as testemunhas pela forma seria e dismistificadora com que as testemunhas conduzem seus ensinos. fui menbro da assembeia de deus e confesso fiquei com otempo penalizado dos pobres dos irmaos que sao obrigados a encarar engolir doutrinas sem se quer darem achance de pensarem no assunto por seus chamados teologos, que de teologos nao tem nada, mais se preocupam na maior parte do tempo em enfeitar palavras simples com logia isto, logia aquilo; por puro exibiciomismo pois sou prova disto pois ja estudei a tal da logia tambem mais nao foi tempo perdido pois as vezes aprender errado pode nos ensinar como fazer certo. nao concordo com aforma exclusivista das publicaçoes dos tjs mais mesmo assim agradeço aDeus todos os dias a existencia dos tjs edo seu lider Russel que me tirou das trevas infantilizadoras das demais igrejas com exeçao dos adventistas que sao muito boms tambem

    ResponderExcluir
  5. 1. Interessante é que em várias matérias escritas pelo Sr. Sebastião Ramos, encontramos muitos elogios sobre as Testemunhas de Jeová, mostrava que era a religião verdadeira, mostrava o amor entre os irmãos, o entendimento das profecias bíblicas e de uma hora para outra começou a difamar as Testemunhas de Jeová. O Sr. Sebastião Ramos escrevia bons artigos defendendo a Organização das Testemunhas de Jeová e agora por motivos particulares, (Hebreus 12:11) deixou de fazer parte da Organização. O mais interessante é que o Sr. Sebastião passou sete anos se associando com as Testemunhas de Jeová e sempre defendia a sua Fé em Jeová e na sua Organização. Na verdade fica difícil acreditar na autenticidade de uma pessoa que de uma hora para outra muda de idéia, e agora fica atingindo a religião que fazia parte. O Sr. Sebastião Ramos no passado criticava os Católicos, depois os Evangélicos e agora as Testemunhas de Jeová, (quem ele irá criticar no futuro?) isso mostra que ele não tem conhecimento exato para fazer observações sobre religião a ou b, principalmente as Testemunhas de Jeová. E não devemos esquecer que em um de seus anteriores artigos (da época em que fazia parte da organização) frisava que as outras religiões faziam “vista grossa” à conduta errada de seus membros, permitindo que estes continuassem agindo de forma errada dentro de suas religiões. O que houve? Onde está a sustentabilidade dos argumentos do Sr. Sebastião? Ou será que ele fala dependendo da conveniência? Mas, isso é normal da pessoa do Sr. Sebastião, ele já passou por cinco denominações religiosas e quando seus pontos de vistas não são colocados em práticas ele abandona ou é expulso. Não devemos dar crédito o que ele escreve. Não passam de palavras que não tem base bíblica e são frutos de sua imaginação, que acha que só ele está certo e todos as outras pessoas estão erradas.

    ResponderExcluir
  6. Marcon:

    Me descupe Sr. Anônimo que , cono vários outros, não assume que é TJ. Não existe outra "religião" que se utiliza mais da "logia" do que os Testemunhas de Jeová. Vejamos algumas que são exclusivas deles: PiramidoLOGIA. NumeroLOGIA.MaçonoLOGIA.SentineLOGIA.CgLOGIA.WatchotwerLOGIA, e um pouco de BiblioLOGIA.
    Me aponte uma outra "religião" com tantas Logias assim.
    Todas estas Logias utilizadas pelos TJs. visam "dar sentido" a bilbia, quando elas lhes parece sem lógica ou difícil de aceitar pela limitada razão humana. Aì êles lançam mão de "profundos" estudos, e se chegarem a conclusão que devem dar uma "mãozinha" a Deus para tornar mais comprensível. Êles não exitam em até mesmo elaborarem a sua bílbia para uso próprio.

    ResponderExcluir
  7. nao sou de criticar religiao ou crença de uma pessoa.mais quando o assunto e erro doutrinario.nao tem como ficar quieto.quanto aos comentarios entre estas pessoas.dou-lhes um conselho.comece a orar e ler a bilbia para que a palavra te venha com a revelacao do Espirito santo.e o mais correto para se falar sobre uma determinada religiao e conhecer seus ensinamentos.nao posso concordar com alguem que nega a trindade.do pai filho e espirito santos.no demais.nao vou editar mais leiam.
    segunda carta de pedro cap.1 vvs 3 ao 11 e cap dois ap.cap 22 vv 18 e 19 esta escrito.eu joa aviso solenemente aos que ouve as palavras profeticas deste livro.se alguma pessoa acrescentar a elas alguma coisa.Deus acrescentara ao castigo dela as pragas descrita neste livro.e se alguma pessoa tirar alguma coisa das palavras profeticas deste livro,Deus tirara dela as bencaos descrita neste livro.isto e.a sua parte da fruta da arvore da vida.e tambem a sua parte da cidade santa.
    quem tem ouvidos ouça o que o Espirito diz a igreja.
    DEUS VOS DER CADA DIA MAIS ENTENDIMENTO.DOS SEUS MISTERIOS.
    EV.NATAN BARRETO

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!