quinta-feira, 14 de abril de 2011



Essa foi a manchete no jornal “Estadão”: 

Religiões se unem em homenagem às vítimas do massacre em Realengo. 


O arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta, rezou uma missa de sétimo dia pela morte das crianças. Em seguida foi realizado um ato ecumênico em frente à Escola Municipal Tasso da Silveira, com a participação de católicos, umbandistas, candomblecistas, judeus, muçulmanos, wiccanos, ciganos, evangélicos, hare krishnas, entre outros segmentos. 
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,arcebispo-do-rio-celebra-missa-em-frente-a-escola-do-massacre-de-realengo,705664,0.htm 


CONSIDERAÇÕES DO BLOG:

Por que não vimos nenhum representante das Testemunhas de Jeová no local para dar uma palavra de apoio aos familiares das vítimas? O que impediria essa denominação religiosa de oferecer consolo aos necessitados, conforme a Bíblia incentiva? Vale salientar, que o assassino foi em diversas matérias, associado às Testemunhas de Jeová, o que rendeu até um pronunciamento do seu representante oficial no Rio de Janeiro (Antônio Marcos Oliveira) e que continha muitas inverdades, que foram denunciadas no link abaixo: 
http://extestemunhasdejeova.blogspot.com/2011/04/por-que-o-representante-das-testemunhas.html

Vamos expor então, o real motivo dessa “ausência”. A revista “Despertai”, uma publicação distribuída pelas Testemunhas de Jeová para o público em geral, cita Sergei Ivanenko, um respeitado teólogo russo, que analisou o comportamento dos seus membros e que mostra como as Testemunhas de Jeová consideram todas as outras religiões do mundo.

 *** Despertai 1997 22/agosto p. 27 As Testemunhas de Jeová na Rússia ***
“Outro ponto sensível é a atitude negativa das Testemunhas de Jeová com relação ao contato inter-religioso, e sua rejeição do ecumenismo. Elas acreditam que o mundo cristão traiu a Deus e a Bíblia, e que todas as outras religiões são um erro desastroso. As Testemunhas de Jeová comparam essas religiões à ‘meretriz de Babilônia’, e sustentam que estas terão o mesmo destino dela. Uma edição recente de ‘Despertai!’ diz que o fim de várias religiões está próximo, e que a única religião que permanecerá é a que as Testemunhas de Jeová pregam.

Notem, que a ideia de condenar e julgar os outros como uma meretriz impura, foi vista como uma das principais características do matador e aparece no texto acima, como uma característica das doutrinas das Testemunhas de Jeová que consideram a sua religião como a única correta aos olhos de Deus.
Essa ideia de pureza espiritual é novamente imposta entre as Testemunhas de Jeová, ao padronizar o proceder e atitude discriminatória para com ex-adeptos, que são julgados como apóstatas e que comem na mesa do demônio (impuros). Ou seja, existe um manual para ser seguido por todas as Testemunhas de Jeová, onde nem mesmo um “oi” ou cumprimento possa ser dado e isso se amplia entre familiares, ocorrendo em muitos casos, o afastamento de parentes por ordem das lideranças das Testemunhas de Jeová. Na sua publicação chamada “Amor de Deus” existe essa orientação de separar os puros (Testemunhas de Jeová) dos impuros:

*** lv p. 207 Como tratar uma pessoa desassociada ***
Nós não nos associamos com desassociados, quer para atividades espirituais, quer sociais. A Sentinela de 15 de dezembro de 1981, página 21, disse: “Um simples ‘Oi’ dito a alguém pode ser o primeiro passo para uma conversa ou mesmo para amizade. Queremos dar este primeiro passo com alguém desassociado?”

CONSIDERAÇÕES FINAIS DO BLOG:
A liberdade de crença, sempre deve ser respeitada, mas até quando os excessos e fundamentalismos religiosos vão ser aceitos e tolerados por uma sociedade que visa a paz e a união de todas as pessoas?
Podemos então, concluir que vivemos numa época em que devemos ter como meta a tolerância à diversidade religiosa, o respeito à autonomia do ser humano e principalmente a consciência de amar incondicionalmente o meu próximo. 


Categorias:

16 comentários:

  1. "Rápidos em mentir, vagarosos no agir (com justiça) ..." - 2º Aos Hipocritas 6:66
    Essa é a premissa da "empresa" Torre de Vígia, a instituição deve ser preservada o todo o custo.

    Lameno essa postura, o que mais me revolta é que na maioria dos casos a política da Torre é o silêncio.

    Como houve grande repercussão este caso eles logo agem para desmentir qualquer possível vínculo com a Associação, porém, quando se trata de Pedofília o palavra de ordem é:

    BOCA DE SIRI !!!

    Fico enojado com tal procedimento. Como Ancião veterano afirmo categoricamente que esse é o retrato dos bastitores da Torre!
    Ancião Virtual

    ResponderExcluir
  2. A Torre de Vigia perde excelentes oportunidades de mostrar o "amor" que ela tanto prega. Isto ocorre em função de seu categórico repudio aos demais religiosos, bem como ao seu apego dogmático ao discurso de que são a "única religião verdadeira" e por isso não se misturam.

    Está cada vez mais clara a distância entre seu discurso e a realidade e como religião esta instituição humana em breve será assolada pelo repudio generalizado da sociedade em geral, que a Torre e as TJ´s tanto procuram em nome da "perseguição a que os verdadeiros servos de Deus devem sofrer".

    Lamentavelmente, qualquer repudio por parte da sociedade a esta organização e seus membros, irá alimentar ainda mais esta distorção em suas mentes fechadas. No entanto, alguns honestos dentre as fileiras TJ´s irão perceber que as causas do repudio pela sociedade estarão relacionados à distorção doutrinal e sua postura arrogante, mais do que a um cumprimento de profecia bíblica.
    Marujo.

    ResponderExcluir
  3. Duvido que não tenha sido convidadas. Esse é um tipo de silêncio que fala muito. Uma ausência bastante presente.
    Jerry.

    ResponderExcluir
  4. A liberdade de crença, sempre deve ser respeitada, mas até quando os excessos e fundamentalismos religiosos vão ser aceitos e tolerados por uma sociedade que visa a paz e a união de todas as pessoas?
    Podemos então, concluir que vivemos numa época em que devemos ter como meta a tolerância à diversidade religiosa, o respeito à autonomia do ser humano e principalmente a consciência de amar incondicionalmente o meu próximo.[/quote]

    Estas palavras dizem tudo! Se eu fosse um seguidor da seita, me sentiria envergonhado!!! Babilônia, a grande, dá um exemplo de verdadeiro amor cristão, de solidariedade, de compaixão! E ainda aparecem alguns que insistem em afirmar que esta seita é o "trigo"! Lamentável !!!
    Conforta saber, no entanto, que alguns, como a maioria de vocês que aqui se encontram, despertaram para a verdade sobre a verdade. Tenho encontrado pessoas maravilhosas e inteligentes neste fórum, seria um desperdício à humanide se ainda permanecessem em meio à tanta hipocrisia.
    ODECY.

    ResponderExcluir
  5. Provavelmente, entre vítimas ou alunos daquela escola não houvesse sequer um Hare Krishna, mas a religião estava presente no momento de solidariedade.
    Não se trata de misturar com outras religiões, mas de SOLIDARIEDADE. De entender a dor alheia.
    Só que os 'puros' não podem se misturar com a 'cristandade'. Para as TJ's, Pedro é recriminado por assentar com os cobradores de impostos e quem sabe, a Torre até desassociaria Jesus por ele entrar no Templo pra pregar ou perdoar adúlteras...
    A Torre tenta ser mais pura e mais justa que o próprio Jesus e os apóstolos.
    kooboo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jesus para eles já não tem muita honra. Na Bíblia deles Tradução do novo mundo, Jesus não pode nem ser adorado. Na parte que diz nas traduções seculares "o adorem" para Jesus, eles trocaram para "prestem homenagem"

      Excluir
  6. Quando eram reuniões de ong's associadas a ONU a torre sempre mandava um representante pra tratar de assuntos diversos, inclusive sobre sexualidade e outras "coisas que ñ devem sequer ser mencionadas entre os cristãos", com representantes de outras religiões. Um verdadeiro ato ecumenico as escondidas. Quando o ato eh publico eles preferem manter a mascara e continuar dando de santo.

    Tamanha hipocrisia!
    Mobrw 101.

    ResponderExcluir
  7. Pascoal ainda não tinha lido nada a respeito da não participação das Tjs no culto ecumênico no RJ, tampouco sabia da desconsideração que fazem das outras religiões, já que nunca fui membro da seita.Percebemos que nesses tempos modernos as religiões têm procurado uma união, sem qualquer dicriminação. E quando a sociedade discorda dos seus ensinamentos, se sentem ofendidos, sendo que são eles mesmos que propiciam as críticas. E ao que tudo indica parece que as TJs continuam a se colocar de forma arrogante acima de todas as demais religiões.Tal postura não justifica, o que somente vem reafirmar a concepção anti-social dos membros. E eis que agora pergunto a você: e solidariedade, a fraternidade, como ela se situa dentro dos ensinamentos das TJs? Grata pelo espaço.

    ResponderExcluir
  8. Esse negócio de ecumenismo na Torre virou uma saia justa pra ela, pois se ela vai fica mal com os fiéis, e se ela não vai fica mal com as famílias, as afastando ainda mais por sua inércia.

    Ela logo se apressou em refutar a afirmação de que o atirador era TJ. Não seria melhor e mais "cândido" que ela afirmasse que tal pessoa pertenceu à religião e estava afastada ou desassociada? Nesse momento a desassociação seria até adequada a uma pessoa com instintos assassinos. Mas não, ela só soltou a nota desmentindo o fato, que foi provado mais tarde verdadeiro, e saiu fora. Perdeu a chance de mostrar a honestidade que ela tanto prega.

    Além disso ela não é participativa em ocasiões de tragédias como as que assolaram a região serrana do Rio e outras mais. A ajuda é direcionada apenas para os irmãos locais das congregações atingidas. Tenho certeza que ela perde de novo a chance de "dar testemunho com obras" se fosse ajudar as pessoas, não importando a religião, não é verdade?

    São essas incoerências que fazem as pessoas começarem a questionar, e aí quando a mente entre no modo "Questionando a Torre", começam a surgir dúvidas, dúvidas e mais dúvidas. Aí vem o cântico "Proceder Cristão" pra dar um reset na mente com a frase "Obediência sem imponência, é o proceder cristão".
    siqale.

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que o caso exigia um pronunciamento oficial de Betel, com pessoas experientes em relações públicas, não do superintendente de circuito. Pelo menos eu quero acreditar que o comunicado desastroso tenha partido apenas dele. Também que dessem entrevistas para os telejornais, como fez o representante da religião muçulmana. Eu acho difícil que não tenham sido procurados. Ou será que não foram?
    Quanto à missa de 7º dia eu acho que fizeram até bem em não ir. Foram coerentes com o que ensinam. Mas ao menos um pronunciamento decente deveriam ter feito.
    André Félix.

    ResponderExcluir
  10. Tbm acho. O senhor Augusto Machado dos Santos deveria ele mesmo ter feito uma declaração neste caso. O Brasil, afinal, nunca tinha experimentado uma barbaridade deste tipo. Acho que as tj's foram relapsas com esse assunto. Creio que a tática da liderança foi de "abafar" e não de "explicar" o caso.
    Alam Moreira.

    ResponderExcluir
  11. Senhor Pascoal Naíb o senhor como professor por um acaso foi até o Rio de Janeiro prestar solidariedade à família das vítimas ? Por que ao invés de criar um blog incentivando a intolerancia religiosa , por quê o senhor como professor não cria um grupo de discussão para tentar combater o bulling nas escolas e evitar que situações como essa não se repita no futuro?
    Ficar atacando as tjs por um acaso vai dar algum conforto às famílias , vai trazer alguma criança de volta ?

    ResponderExcluir
  12. Olá Senhor anônimo! Percebe já a diferença no meu cumprimento e do seu? Eu me identifico e mostro meu rosto e digo quem sou, porém não acontece isso com o senhor o que torna cômodo qualquer tipo de postagem.
    Mas, respondendo as suas perguntas, não fui ao Rio de Janeiro porque trabalho e tenho minhas responsabilidades e como professor faço minha parte em sala de aula tentando minimizar qualquer tipo de discriminação e fundamentalismos que apareçam em qualquer segmento da sociedade.
    O Blog não incentiva a intolerância, pois na realidade ele desnuda essas práticas que ocorrem dentro da denominação religiosa das Testemunhas de Jeová e incentivam o diálogo e a construção de uma mentalidade mais tolerante e não exclusivista da fé como você bem sabe que ocorre dentro do mundo TJteano.

    ResponderExcluir
  13. Olha voce me desculpa mas ate eu que no momento nao sigo nenhuma religiao iria a um culto ou missa sei la ecumenica,tenho um irma que e da umbanda e sei bem do que se trata entao nada que reuna esse tipo de coisa com qualquer outra religiao nao e de Deus disso tenho toda certeza...nao se deve beber das duas taças...

    ResponderExcluir
  14. Sou contra o ecumenismo religioso, pois foi devido à mistura de ritos religiosos que hoje estamos na atual situação de caos religioso, onde os cultos cristãos estão totalmente perdidos em meio a tanta filosofia e paganismo que não sabem mais onde termina as escrituras sagradas e onde começam os tradicionalismos pagãos herdados de diversas mitologias.
    Porém, isso não lhes redime de sua necessidade de prestar condolências e consolo, mesmo que de forma individualizada, ainda mais devido ao fato de o lunático que foi o responsável pelo massacre ja ter sido frequentador da religião e isso ter causado uma péssima repercussão na imagem da religião, cabia naquele momento atos de solidariedade e de empatia...

    ResponderExcluir
  15. CADA DIA QUE PASSA SINTO MAIS NOJO DESSA SEITAZINHA. ESTUDEI COM OS TJS POR ANOS E NUNCA CHEGUEI AO BATISMO. ELES JULGAM MUITO AS PESSOAS, SO TEM AMIZADES COM PESSOAS DA MESMA SEITA. ELES NAO TEM AMOR QUE PREGAM. E TUDO HIPOCRISIA!!!

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!